Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Em menos de 3 anos de governo, Roseana Sarney fez 16 trocas em seu secretariado

10 de agosto de 2013 : 12:05

A governadora Roseana Sarney (PMDB) é uma mulher que apresenta números expressivos, além de ser a primeira mulher a ser eleita governadora e também possuir a maior quantidade de mandatos a frente de um estado, desde o retorno da democracia, ela vem batendo outro recorde: em pouco mais de 30 meses de governo, a peemedebista fez 16 trocas em sua equipe de secretariado e ainda mexeu em 13 secretarias, ou seja, mais de 40% das pastas já tiveram entrada e saída dos titulares.

De 2011 para cá muita coisa mudou no governo Roseana, ou
quem sabe quase nada, apenas trocaram as posições do jogo

É claro que cargos como de secretário é da total confiança do chefe do executivo, seja do prefeito ou governador, e no casos de ministros para o presidente. Mas no governo Roseana as trocas chamam bastante atenção, pois muitas vem sendo seguidas por pessoas quer viram e voltam estão no governo, deixando evidente que em alguns casos, as secretarias nada mais são do que cabides de emprego.

Outra hipótese que pode surgir é que apesar da experiência de vários mandatos como governadora, um de senadora e outro de deputada federal, não foram suficientes para que escolhesse os nomes ideias para as suas pastas. Vamos aos casos de troca deste governo, iniciado no dia 1 de janeiro de 2011. Em alguns, os nomeados nem chegaram a assumir, outros o titular ficou somente um mês, fora os casos daquelas que ocorrem a alta rotatividade.

Secretaria da Saúde – Nomeado no dia 01/01/2011, José Marcio Leite ficou apenas até o dia 03/02/2011, no dia seguinte, o cunhado de Roseana, Ricardo Murad (PMDB), ocupava o lugar do ex-titular.

Secretaria da Juventude – Nomeado no dia 01/01/2011, Roberto Costa (PMDB) não queria o cargo, portanto nem chegou a assumir, o qual ficou vago até colocarem André Campos (PMDB), indicação do deputado estadual. Depois, o jovem peemedebista saiu para concorrer as eleições de vereador e assumiu o também parlamentar Carlos Filho (PV), que poucos sabem dizer: se de fato ele trabalha ou se quer sabe onde fica a sede da SeJuv.

Secretaria de Ciência e Tecnologia – Essa já está no seu quarto secretário, José Costa (PT) assumiu, após as passagens de Rosane Guerra, a coringa Olga Simão e o homem de confiança João Bernardo Bringel. Tudo isso em menos de três anos.

Secretaria de Educação – Olga Simão foi a primeira nomeado ainda em 01/01/2011, mas depois trocou o posto com João Bernardo Bringel e desde o ano passado, o deputado federal Pedro Fernandes (PTB), responde pela pasta.

Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Social – Aqui eram duas pastas, Conceição Andrade (PMDB) e Francisco Gomes (DEM) entregaram seus cargos e o outro homem de confiança de Roseana, Fernando Filho (PMDB) assumiu a super secretária, que tem um dos maiores orçamento e também inúmeras denúncias de corrupção.

Programas Especiais – Inicialmente foi dada a Jura Filho (PMDB), por conta da derrota dele na disputa pela vaga de deputado estadual, logo depois acomodaram o suplente em outra pasta, abrindo espaço para atrair Clodomir Paz chateado com a oposição.

Secretaria de Infraestrutura – Novamente Max Barros (PMDB) foi o primeiro nomeado com o objetivo de lhe garantir visibilidade e ser o candidato do grupo Sarney a prefeitura de São Luís, o nome não empolgou. Chegou a vez de tentar impulsionar outro pré-candidato, Luís Fernando (PMDB) saiu da Casa Civil e assumiu a pasta.

Secretaria de Justiça e Administração Penitenciária – O conceituadíssimo Sérgio Tamer conduzia bem a pasta, porém caiu em desgraça com Ricardo Murad, que pediu sua exoneração, hoje a conturbada pasta está na mão do Delegado Uchoa, que diz ter a solução para as fugas de Pedrinhas: implodir o Complexo Penitenciário.

Secretaria das Cidades e Desenvolvimento Urbano – Inicialmente foi nomeado Pedro Fernandes, porém com o desejo de ser eleito deputado federal em 2014, Roseana abriu a vaga para Hildo Rocha (PMDB), para que ele garanta a visibilidade necessária para a vaga no Congresso.

Secretaria de Cultura – Luiz Bulcão (PMDB) nomeado inicialmente, foi pressionado a entregar o cargo para disputar a vaga de vereador na dificil coligação PMDB/DEM, ficou sem cargo, foi bucha de canhão e hoje quem manda por lá é a coringa Olga Simão.

Secretaria de Turismo – O ex ou atual oposicionista Tadeu Palácio (PP), era mais um daqueles que se zangam com a oposição e procuram o grupo Sarney para buscarem um espaço na política, ficou até botar na cabeça que poderia ser prefeito de novo, mas que a governadora não lhe apoiaria, pior para ele que ficou sem nada e hoje tem Jura Filho no seu lugar.

Casa Civil – Luís Fernando nomeado em 2011 foi o escolhido por Roseana para ser o nome que iria representar o seu grupo, no espaço destinado a ele, teve dificuldades em conduzir a relação política com os aliados que reclamavam muito da sua falta de assistência. Também achando que a Casa Civil não lhe promovia o necessário para lhe garantir como o candidato do grupo Sarney, João Abreu (PMDB) foi chamado de volta, sua quarta passagem, assim como a governadora, pelo secretariado de Roseana.

Simplesmente 16 trocas em menos de 3 anos de governo. Alta rotatividade e nomes bem conhecidos no meio político. Roseana com certeza sabe o que tá fazendo ou não.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>