Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Projeto do Pastor Gildenemyr quer criar fundo para combater furto a caixas eletrônicos no País

1 de julho de 2020 : 08:16

O Projeto de Lei 515/20 cria o Fundo Nacional de Combate a Roubo e Furto de Instituições Financeiras e Congêneres. O objetivo é desenvolver ações que visem impedir roubos e furtos a caixas eletrônicos. O texto está em análise na Câmara dos Deputados.

Pela proposta, o fundo será constituído dos seguintes recursos: a contribuição mensal das instituições financeiras de pelo menos 2% do lucro mensal; dotações orçamentárias da União; doações e contribuições de pessoas físicas e empresas; rendimento decorrente de aplicações do próprio patrimônio do fundo; outros destinados por lei.

As verbas serão usadas para apoiar projetos nas áreas de segurança e tecnologia destinados, dentre outros, a: reequipamento, treinamento e qualificação das equipes de segurança dos estados; sistemas de informações, de inteligência e prevenção; estruturação e modernização da segurança de caixas eletrônicos; programas de prevenção a roubo e furto a caixas eletrônicos; serviço de inteligência para resposta imediata nos casos de uso de explosivos.

Ainda segundo o texto, o fundo será administrado pela Secretaria Nacional de Segurança Pública, de acordo com diretrizes fixadas pelo governo federal em regulamento. Os recursos serão transferidos para fundos criados para a mesma finalidade nos estados, no Distrito Federal e nos municípios, por meio da celebração de convênio, ajuste, acordo,contrato ou instrumento congênere.

Complemento à legislação
Autor da proposta, o deputado Gildenemyr (PL-MA) afirma que só no Maranhão houve 38 casos de assaltos, arrombamentos e explosões de agências bancárias registrados em 2019. Ele destaca que a Lei 13.654/18 já trata dos crimes de furto qualificado e de roubo quando envolvam explosivos, e a ideia, portanto, é complementar essa legislação.

Ele estima que “o aporte de 2% do lucro dos quatro maiores bancos disponibilizará, com base em dados de 2019, quase R$ 2 bilhões” para o fundo.

“A criação do Fundo Nacional de Combate a Roubo e Furto de Instituições Financeiras e Congêneres é uma medida inadiável diante do número crescente de assaltos a bancos por bandidos fortemente armados, para roubos de caixas eletrônicos, inclusive com o uso de explosivos cada vez mais potentes.”

Tramitação
A proposta, que tramita em caráter conclusivo, será analisada pelas comissões de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>