Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

STF confirma que emissoras não são obrigadas a convidar nanicos para debates na TV

25 de agosto de 2016 : 19:17

propagandatvO Supremo Tribunal Federal tomou uma decisão nesta quinta-feira (25), que já vinha sendo aplicada na prática. Os candidatos de partidos nanicos podem ser convidados para participar de debates, mas isso não é obrigatório e sim facultativo as emissoras de tv e rádio. Somente os concorrentes de partidos com mais de 10 deputados na Câmara Federal, ficam obrigados a receber o convite de participação dos debates. Na prática, isso significa que em São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT), Wellington do Curso (PP), Eliziane Gama (PPS) e Fábio Câmara (PMDB), vão estar presente em todos os encontros na televisão e no rádio.

Apesar de não mudar muito o cenário atual, a decisão foi comemorado por diversos candidatos pelo país afora, destacando a situação de Luiza Erundina (PSOL) que está em terceiro lugar na disputa pela Prefeitura de São Paulo e Marcelo Freixo (PSOL), em segundo no Rio de Janeiro.

Em São Luís, atualmente a quarta colocação vem sendo ocupada por Rose Sales (PMB), que a princípio não teria direito de participar dos debates. Fábio Câmara que tem o direito assegurado oscila entre a quinta e a sexta posição, disputando ainda espaço com Eduardo Braide (PMN), outro que não tem o direito assegurado.

Até o momento somente dois debates estão previstos em emissoras maranhenses, a Tv Guará que deve realizar no dia 22 de setembro e da Tv Mirante no dia 29 de setembro. A retransmissora da Record News em São Luís tem optado por convidar todos os candidatos na disputa, assim foi em 2012 e 2014, quando promoveu o embate de idéias. Já a filiada da Rede Globo, deve optar por convidar os quatro candidatos com obrigatoriedade de participação. A emissora justifica essa posição por conta da questão de logística, só possui 40 minutos da grade de programação pra desenvolver o debate.

A decisão do STF só favorece as emissoras e aos grandes partidos e tradicionais. Os nanicos estão condenados a continuarem assim e a longo prazo ficarem cada vez mais distante das grandes disputas. Aos poucos, o sistema político brasileiro pode se transformar no que acontece nos Estados Unidos, onde milhares concorrem aos cargos majoritários, mas só dois têm chances reais de vitória…

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>