Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Vereador Fábio Câmara está cometendo plágio

21 de janeiro de 2015 : 15:27

O vereador Fábio Câmara (PMDB), mantém a linha oposicionista à gestão municipal. Desde o inicio do seu mandato, nada que os seus adversários políticos fazem, presta. Tudo ele tem uma crítica, diz que é mal feito, que está sendo feito desonesto ou até mesmo estão cometendo plágios. Porém o parlamentar esquece de

olhar para si, quando aponta os erros dos outros. 
Fazendo uma rápida verificação nas mensagens diárias postadas na fan page do peemedebista, pode ser perceber que Fábio Câmara vem cometendo um crime. 

O vereador de São Luís está plagiando sem a menor vergonha, as mensagens produzidas diariamente pela assessoria do senador Marcelo Crivella do PRB do Rio de Janeiro.

Para ser mais claro, Fábio Câmara está cometendo plágio e isso significa que eles está assinando ou apresentando uma obra intelectual de qualquer natureza (texto, música, obra pictórica, fotografia, obra audiovisual, etc) contendo partes de uma obra que pertença a outra pessoa sem colocar os créditos para o autor original. No ato de plágio, o plagiador apropria-se indevidamente da obra intelectual de outra pessoa, assumindo a autoria da mesma.

E isso pode ser facilmente identificado nas imagens expostas nesse blog. Fábio Câmara ou até mesmo sua assessoria, está trocando apenas as logos dos políticos. Eles tiram a do Marcelo Crivella e colocam a de Fábio Câmara.

Que vergonha vereador!

Vale lembrar que o senador fluminense, Marcelo Crivella, é evangélico e posta suas mensagens até com cunho evangelizador, coisa que Fábio nem é.

O que é mais impressionante nas postagens feitas no Facebook é que são praticamente simultânea. Assim que cai algo na fan page de Marcelo Crivella, logo em seguida ou no máximo dois dias depois, aparecem na página de Fábio Câmara.

O vereador ludovicense talvez nem tenha conhecimento do que esteja ocorrendo, mas deve ter mais cuidado quando aponta erros dos outros, pois quando menos se espera ocorre um deslize.

De acordo com a legislação vigente para evitar acusação de plágio quando se utilizar parte de uma obra intelectual na criação de uma nova obra, recomenda-se parafrasear o texto da fonte consultada e colocar sempre créditos completos para o autor, seguindo as normas da ABNT, especialmente no caso de trabalhos acadêmicos onde normalmente se utiliza a citação bibliográfica.

No Brasil, o plágio é considerado crime e sua principal referência é a lei 9.610. Todavia, a lei 9.610 é voltada para a proteção de obras comerciais. Segundo essa lei seria possível copias “pequenos trechos”, o que é inadmissível em um trabalho acadêmico. Para fins de trabalho acadêmico é mais adequado seguir-se as normas da ABNT, que não admitem exceções para textos copiados.

Por fim, fica a recomendação ao vereador Fábio Câmara que o mais rápido possível reveja seu erro na sua fan page e evite novos casos desses, caso contrário ele pode passar uma vergonha nacional, fora que pode ser alvo de chacota por conta do plágio que está cometendo sem o menor pudor.

Quem quiser acompanhar o trabalho e as cópias dos materiais pode acessar as fans pages no seguintes links:


Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>