Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Em um ano, reajuste concedido a professores municipais foi o dobro da inflação

22 de julho de 2014 : 15:26
Professores  municipais mantêm greve há dois meses, apesar
de terem obtido o maior reajuste salarial
da história da categoria (
Foto: Biné Morais/O Estado)

Blog do Daniel Matos

A greve de professores da rede municipal de ensino de São Luís, que nesta terça-feira completará dois meses, transcorre em meio a uma situação intrigante, que diz respeito justamente à melhoria salarial, principal item da pauta de reivindicações da categoria. Contemplados, em apenas um ano, com dois reajustes que somam 12,5%, os docentes da capital maranhense podem se considerar privilegiados, pois o acréscimo aplicado aos seus vencimentos equivale a quase o dobro da inflação registrada no período, que foi de 6,37%, segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Raras foram as categorias profissionais em todo o país que tiveram ganho tão significativo em suas remunerações. Em junho do ano passado, os professores obtiveram 9,5% de reajuste. Com os 3% de reposição concedidos mês passado pela Prefeitura de São Luís ao funcionalismo, a classe do magistério foi mais uma vez favorecida.

Apesar de terem sido beneficiados com o maior reajuste salarial da sua história, os professores, tendo à frente o sindicato da categoria, insistem em manter a greve, que tanto prejuízo já causou aos mais de 130 mil alunos matriculados na rede municipal de ensino. Ao adotar postura tão radical, os educadores – se é que neste momento merecem ostentar tão nobre título – demonstram falta de bom senso e insensibilidade extrema com a situação de dezenas de milhares de crianças e adolescentes que dependem do seu trabalho e da sua boa vontade para vislumbrar um futuro melhor.

Obviamente, os professores merecem todos os ganhos possíveis, tendo em vista a atividade importante que exercem e o desgaste físico e psicológico ao qual são submetidos no dia a dia. Por outro lado, devem, mesmo diante das dificuldades, inerentes a tantas outras profissões, estar cientes do seu compromisso, algo que parecem ter esquecido em meio aos piquetes, assembleias gerais e ao ócio em que muitos passaram a viver neste período sem aulas.

Mesmo com os vencimentos reajustados em um percentual que chega a quase duas vezes o índice inflacionário, os professores se mantêm irredutíveis em seu propósito de continuar com a greve. E por sua intransigência começam a atrair para si a antipatia da sociedade, que já percebeu que a paralisação nunca teve razão de ser.

2 comentários em “Em um ano, reajuste concedido a professores municipais foi o dobro da inflação”

  1. Anonymous

    7 anos atrás  

    O indice de inflação é anual, caso vc não saiba não há acúmulo de um ano para o outro e o reajuste é feito com base no indice desse ano. Outra coisa q talvez vc não saiba o pagamento salarial dos educadores é com base na lei federal, denominada Fundeb, que apenas deve ser repassada para os profs. Estude mais antes de escrever tolices.

  2. Anonymous

    7 anos atrás  

    O indice de inflação é anual, caso vc não saiba não há acúmulo de um ano para o outro e o reajuste é feito com base no indice desse ano. Outra coisa q talvez vc não saiba o pagamento salarial dos educadores é com base na lei federal, denominada Fundeb, que apenas deve ser repassada para os profs. Estude mais antes de escrever tolices.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>