Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Geraldo Castro: “Não há espaço para nenhum partido neste momento”

3 de junho de 2014 : 07:54
Uma opinião serena e tangenciando a realidade atual. Assim pode ser considerada a fala do secretário municipal de Educação, Geraldo Castro. A este jornalista, ele declarou: “não há espaço para nenhum partido neste momento”. A fala surge em um momento tenso na política local, onde as eleições estaduais acabam ganhando proporções gigantescas, que acabam influindo até em administrações municipais.

Na manhã de segunda-feira (2), os vereadores Rose Sales (PCdoB) e Professor Lisboa (PCdoB), fizeram uma discurso errôneo e fora de tempo. Diante de uma platéia de professores, eles aproveitaram o momento para disparar palavras totalmente equivocadas, pois cobraram aquilo que já vem sendo feito. A luta por melhorias no sistema público de educação.

Geraldo Castro assumiu a Semed no último dia de outubro de 2013. Recebeu uma secretaria cheia de problemas e aos poucos arrumou a casa, inclusive o calendário eleitoral que era um desafio. Promoveu um seletivo para 650 professores, anunciou a construção de nove creches, autorizou ordens de serviço para manutenção de escolas etc, mudou em menos de um ano a cara da educação municipal, tanto que é reconhecido pela população e pela própria classe política como um dos melhores secretários da administração Edivaldo Holanda Júnior.

Vem administrando e dialogando com todos sem olhar cores partidárias, assim como Edivaldo Holanda Júnior prega, afinal seu governo existem membros do PDT, PCdoB, PMDB, PT etc. Geraldo Castro possui uma postura coerente, decente e de demonstração de competência, assim como o atual prefeito cobra de toda a sua equipe.

Diante de uma greve, que existem inúmeros interesses por trás, começando pela própria presidente do sindicato que tem estreitas ligações com partidos políticos. Fica o clamor, por não envolvimento de partidos nessa discussão e sim o comprometimento com a sociedade.


Geraldo mantém o diálogo aberto e próspero com os professores. A proposta de reajuste salarial de 8,32% supera o valor da inflação anual, as progressões horizontais serão anunciadas, mais melhorias também e o concurso da educação vem aí. No fim das contas, nenhum partido sairá vitorioso, mas sim, somente o povo.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>