Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Roberto Costa esclarece pagamento de precatórios do Governo do Estado

29 de maio de 2014 : 06:00

Em uma discussão acirrada com a oposição, o deputado Roberto Costa, saiu em defesa do Governo do Estado, a respeito de pagamento dos precatórios à empresa Constran, na sessão de ontem, na Assembleia Legislativa.

O parlamentar afirmou que a oposição está criando factoides sobre o assunto e, aproveitou a oportunidade para prestar esclarecimentos.

“A oposição tenta criar uma situação de constrangimento, onde não se tem argumentos fortes para isso. A questão do pagamento do precatório da Constran foi feita de forma pública, de forma extremamente transparente, esse é um processo que já corre há mais de 25 anos, tendo sido finalizado com a condenação do Estado, e que era necessário o cumprimento desta decisão. O Ministério Público se posicionou favorável a isso, a própria OAB/Nacional sempre se posicionou em relação a cobrar a fim de que o governo do Maranhão honrasse os pagamentos com os precatórios, e foi feito tudo dentro da legalidade”, afirmou.

Para o parlamentar, o acordo firmado foi vantajoso para o Estado, garantindo economia para os cofres públicos no valor de R$ 30 milhões com a retirada de juros e correção monetária.

“Esse acordo foi autorizado pela justiça e benéfico para o Estado. Então, não houve nenhum tipo de privilégio, nenhum tipo de favorecimento por parte do governo no sentido de honrar este precatório. Foi feito dentro da legalidade, Agora, se o presidente desta empresa negociou ou deixou de negociar com quem quer que seja, isto não é problema do Estado”, declarou

Não satisfeitos com os esclarecimentos, os oposicionistas insistiam em interromper o discurso do deputado Roberto Costa com os apartes, abordando informações trazidas em matérias divulgadas nos jornais e revistas sulistas, enfatizando as investigações da Policia Federal.

“Em se tratando de Polícia Federal quem entende e quem tem pós-doutorado é a oposição. Quem entende de mala, é a oposição. Quem entende de apreensão pela Polícia Federal são os governos de oposição. Que autoridade se tem de se acusar da forma que se acusa as pessoas sem comprovar a veracidade dos fatos? Será se as investigações da Policia Federal feita nos governos que vocês fizeram parte e que foram divulgada nas mesmas revistas são verdadeiras? Se vocês querem que eu acredite na revista Isto É, de agora, eu tenho que acreditar na Isto É do passado, que mostrou toda a corrupção dos governos anteriores e do qual, vocês fizeram parte”, questionou .

Em contrapartida, Roberto Costa questionou o papel da oposição na Assembleia Legislativa.

“A Oposição tem um papel fundamental e importante nesta Casa, inclusive para o povo do Maranhão. Agora , nós temos que ter o respeito necessário quando fazemos também acusações aqui nesta Tribuna. Eu acho que temos que ter o equilíbrio necessário para fazer as cobranças, para fazer a fiscalização que deve ser feita, porque é uma prerrogativa de todos os deputados. Agora, nós não vamos tolerar e não vamos aceitar que se tente fantasiar uma situação como essa. Como eu disse; aqui não se discutiu a legalidade em nenhum momento deste precatório”, pontuou.

E finalizou, desafiando a oposição a esclarecer também os precatórios que foram pagos durante os governos anteriores.

“Se querem discutir transparência de precatório, vamos discutir os precatórios que vocês pagaram de 150 milhões, nos governos que vocês fizeram parte. Vamos discutir essa transparência, vamos tirar essa poeira debaixo do tapete?”, desafiou o deputado.

Um comentário em “Roberto Costa esclarece pagamento de precatórios do Governo do Estado”

  1. Anonymous

    8 anos atrás  

    Esses Deputados mequetrefes tem é que defenderem os precatórios da população pobre, que está mofando no TJ e, essa Governadora que tem esse TJ nas mãos. Minha mãe está a 12 anos tentando rever os precatórios dela e nada.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>