Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Escolhas erradas custam muito caro para uma administração pública

29 de janeiro de 2014 : 08:59
Além de ser competente, um gestor público também tem que saber escutar, para tomar algumas medidas corretas e isso ocorre na escolha de sua equipe. Um grande exemplo dessa postura a ser tomada é a Prefeitura de São Luís, que continua sendo alvo de críticas da sociedade e da imprensa, por conta da má gestão da saúde pública municipal. No mês de junho e agosto do ano passado, Edivaldo Holanda Júnior (PTC), decidiu nomear César Félix e Érico Cantanhede, para administrarem a Semus e o Socorrão I, uma péssima escolha, que vem trazendo problemas até o presente momento para o executivo municipal.
César Félix piorou a situação da Semus

Nesta quarta-feira (29), culmina mais uma grande greve no principal hospital de urgência e emergência da capital, o Socorrão I. A paralisação acontece, pois os servidores não aguentam mais a situação calamitosa que vem trabalhando e também por conta da péssima gestão do médico Érico Cantanhede. 

Sem conhecimento de causa e experiências necessárias para controlar a crise, César Félix se omite do debate, tentando preservar o seu cargo, mas ele teria mais sobrevida, se fizesse o contrário, buscando contornar a paralisação, mas mesmo que fizesse, não conseguiria, afinal ele não abriu o diálogo ao longo de sete meses com os servidores.

Para piorar, o Sindicato dos Enfermeiros denunciou o diretor do Socorrão I, Érico Cantanhede, ao Ministério Público por improbidade administrativa, ao manter cargos fora do seu local de trabalho, que exige exclusividade de acordo com a Lei do SUS 8080/90. Expondo mais uma vez de forma negativa a Prefeitura de São Luís.
Com Érico Cantanhede e Zé Luís no Socorrão I, o caos
aumentou, após gestão incompetente e despreparada
O prefeito ainda tem tempo de fazer as trocas necessárias, para buscar melhorias reais e tangíveis, a sociedade, mas ele deve ficar atento, que uma atitude errada ou mal planejada, pode trazer o caos para a sua administração, que passa momentos de tranquilidade, proporcionada pelos secretários de educação, Obras e Serviços Públicos e Urbanismo.

A greve de hoje, pode ser o abrir de olhos da administração municipal, que não há mais tempo para perder e principalmente com Saúde não se brinca. Milhares de pessoas estão morrendo nos corredores e nas filas de esperas dos hospitais públicos geridos pela secretaria municipal de Saúde.

É necessário deixar claro que não há mágica, para mudar tudo imediatamente, mas existem gestores experientes e competentes, que sabem o caminho de conduzir os serviços públicos para a excelência.

2 comentários em “Escolhas erradas custam muito caro para uma administração pública”

  1. Anonymous

    9 anos atrás  

    Acredito e tenho convicção que o prefeito Edivaldo irá melhorar essa situação, da mesma forma que ele consertou a secretaria de educação.

  2. Rosangela

    9 anos atrás  

    Vejo todos reclamando da superlotação do socorrão, mas não podemos deixar de lado a responsabilidade do governo do Estado que não investe em hospitais nos interiores e os paciente que lotam os hospitais de São Luís são a grande maioria (acima de 60%) oriundos de outros municipios. Os investimento que vemos são em caravanas vindas do interior com doentes e familiares para serem atendidos no Socorrão I e II. Aí eu fico me perguntando se é justo a culpa recair somente sobre a administração municipal.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>