Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

PP anuncia apoio a Flávio Dino e PSOL confirma Pedrosa como candidato a governador

14 de junho de 2014 : 13:23

O primeiro dia de convenções partidárias no Maranhão foi de contrastes. PP e PSOL realizaram suas definições para eleição deste ano, o primeiro anunciou apoio ao nome de Flávio Dino (PCdoB) ao governo e o segundo anunciou Luís Pedrosa como candidato ao cargo. No entanto as diferenças foram sentidas por conta da representatividade, os progressistas reuniram quase cinco mil pessoas no Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana, enquanto os socialistas se reuniram de forma modesta em uma sala do Sindicato dos Bancários, que reuniu no máximo 50 filiados. 

Apesar do tímido evento do PSOL, o pré-candidato ao governo garante que a candidatura a governador do partido será bem diferente dos anos anteriores. Terá um discurso grosso contra os dois principais pré-candidatos (Flávio Dino e Lobão Filho), que segundo Pedrosa, representam um só modelo político que vem se revezando no poder político no Maranhão.

“A nossa candidatura existe para contrariar a tese de que o PCdoB é oposição no Maranhão, pois não vemos nenhuma distinção entre candidatura do Flávio Dino, que faz articulação com latifundiários e representantes agronegócio, então existe a necessidade de oferecer para população um modelo diferente e este será o nosso papel”, destacou Pedrosa.

Ainda existia a expectativa de uma formação de coalizão com outros partidos do mesmo campo, como o PCB e PSTU, porém as negociações não prosperam por conta das exigências individuais. Os comunistas atenderam uma deliberação nacional que impede coligar, por conta do candidato a presidência Mauro Iasi que exige palanques estaduais. Já o PSTU queria indicar o candidato a governador e a vaga de senador ficaria com o PSOL.

Quanto as eleições proporcionais, o PSOL deve ter 20 candidatos distribuídos entre as vagas de deputado estadual e federal, porém o próprio Pedrosa admite a possibilidade ser remota de eleição de algum deles. “Na condição atual que estamos, sem coligação é muito difícil obtermos a vitória na disputa proporcional”, avaliou.

Quanto a vaga de vice-governador e senador, até o fechamento desta edição não tinha saído uma definição. Porém o nome de Haroldo Sabóia, presidente do PSOL, estava cotado para indicação de concorrer a uma vaga no Congresso Nacional.

Progressistas

Se na convenção do PSOL, a modéstia predominou, na convenção do PP houve muita pompa. O presidente nacional da legenda, senador Ciro Nogueira, foi recebido por milhares de filiados e simpatizantes da sigla. Ainda participaram do evento, Flávio Dino, o pré-candidato ao Senado, Roberto Rocha (PSB) e vários deputados federais, estaduais e vereadores.

No encontro foi oficializado a adesão a candidatura majoritária comunista, a de senador para Roberto Rocha e anunciado uma composição com PPS, Solidariedade e PROS para vaga de deputado estadual e o chapão oposicionista na disputa de federal.

Historicamente o PP foi aliado do grupo governista, liderado pela governadora Roseana Sarney (PMDB), porém desta vez optou pela oposição. De acordo com o presidente estadual, Waldir Maranhão, ele diz que chegou a hora de mudar os rumos da política local, por isso a opção pelo comunista.

Na tarde de ontem ainda aconteceu a convenção do PPL, que definiu Zé Luís Lago como candidato a governador. Ele disputará o cargo sem coligação.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>