Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Revista Maranhão Hoje revela o medo da violência que vem levando os empresários a transformarem seus estabelecimentos em “presídios”

16 de novembro de 2013 : 19:10

A revista Maranhão Hoje que chegou às bancas neste fim de semana traz como matéria de capa uma ampla reportagem sobre como o medo da violência obriga comerciantes de São Luís a transformarem seus estabelecimentos em verdadeiras prisões, criando um ambiente nada agradável de convivência com os clientes, que são atendidos, em alguns casos, do lado de fora. É o caso de Jorge Santos, proprietário de um mini mercado na Vila Passos, que diz se sentir prisioneiro dentro do seu estabelecimento.

Ainda de acordo com a reportagem, até mesmo reuniões plenárias como as da Associação Comercial do Maranhão agora se realizam com portões fechados, já que os empresários temem assaltos. Na Praça Lisboa, até mesmo donos de bancas de revista evitam trabalhar depois de 18h, pois o risco de assalto é grande. 

O medo faz sentido, pois em recente encontro com empresários lojistas, como ressalta Maranhão Hoje, o ex-comandante do policiamento metropolitano, tenente-coronel João Nepomunceno, recém-nomeado subcomandante da Polícia Militar, admitiu que o efetivo destinado para policiar o centro de São Luís se resume a oito homens, ou seja, não há a menor proteção aos cidadãos.

Já na Avenida Kennedy, o comerciante José Ribamar Pinheiro, proprietário do Comercial Pinheiro, foi obrigado não apenas a também gradear seu estabelecimento, mas a contratar segurança particular. Segundo ele, houve um período em que foi assaltado seis vezes em menos de um ano, ou seja, de dois em dois meses recebia a “visita” de assaltantes, que quando não encontravam dinheiro levavam mercadorias.


Municípios – A revista também destaca em sua edição de novembro como os agricultores maranhenses estão valorizando mais as culturas tradicionais, como arroz, milho e feijão, que na safra deste ano devem ser variação maior do que a soja, que, segundo o último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), terá um desempenho negativo nesta colheita.

Ainda no campo da economia, Maranhão Hoje traz o perfil de um dos mais bem sucedidos empresários do ramo de automóveis, Nonato Luz, proprietário da Gran Car, que conta como conseguiu se graduar e se tornar um homem de negócios depois de deixar Parnaíba, no litoral piauiense, para residir e trabalhar em São Paulo. O empresário diz que saiu do Piauí sem estudos, mas conseguiu vencer. Na reportagem ele diz que economizar para começar um negócio e bem melhor do que dever banco.

Como parte das comemorações dos 200 anos do Tribunal de Justiça, a revista entrevistou o presidente da OAB-MA, Mário Macieira, que afirma não estar o Judiciário adaptado para atender à demanda por justiça.

Maranhão Hoje, que é uma publicação da Class Mídia, é a única revista com periodicidade regular no Maranhão, circulando mensalmente, em São Luís, e várias cidades do interior. 

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>