Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Número de servidores da saúde ultrapassa 6 mil em São Luís, denuncia Estevão Aragão

3 de junho de 2018 : 07:48

O vereador Estevão Aragão (PSDB) usou a tribuna da Câmara Municipal para denunciar o número de funcionários lotados na saúde em São Luís, que chega a 6.513. Depois, reiterou o assunto em entrevista ao jornalista Diego Emir, no programa “Conversa Franca” da Rádio Difusora AM.

De acordo com as informações obtidas pelo parlamentar por meio do Portal da Transparência, os mais de 6 mil servidores são 1.231 do Hospital Municipal Djalma Marques, 786 agentes de saúde, 499 agentes de endemias, 266 no Samu e 3.771 na própria Secretaria Municipal de Saúde.

“Com essa quantidade de funcionários, a saúde pública da nossa cidade deveria ser de primeiro mundo, mas está muito longe de, sequer, ser melhorada. Enquanto o prefeito de São Luís gasta acima do permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal, faltam medicamentos, pagamentos, e a obra do Hospital da Criança continua parada”, acentuou.

Confira o quadro de servidores:

Convênios

Estevão Aragão também falou sobre o convênio firmado entre o Ministério da Saúde e a Secretaria Municipal para ampliação das unidades de urgência e emergência, celebrado em 2012 e que termina em dezembro de 2018, no valor de pouco mais de R$ 2 milhões. “Apenas R$ 977 mil foram usados. Então, não sei para onde vai esse dinheiro, porque para a saúde não é”, afirmou o vereador.

O vereador tratou ainda de outro convênio, também firmado entre o Governo Federal e Municipal, que destina R$ 25 milhões para a construção da maternidade da cidade operária, a primeira de São Luís. São R$ 24 milhões do MS mais uma contrapartida de R$ 1 milhão da Prefeitura de São Luís. A vigência foi celebrada em dezembro de 2013 e terminará em agosto de 2018.

Segundo o Portal da Transparência, desses R$ 24 milhões foram repassados apenas R$ 3.386.400,00 entre os anos 2014 e 2016. “O prazo vai acabar e o dinheiro não chega. Isso prova a péssima gestão da atual Prefeitura de São Luís, que não consegue a liberação do restante da verba por falta de projeto. E esses 3 milhões não sei onde foi aplicado porque nem máquinas, nem operários são vistos trabalhando há muito tempo”, pontuou Estevão ao finalizar.

6 comentários em “Número de servidores da saúde ultrapassa 6 mil em São Luís, denuncia Estevão Aragão”

  1. Gilmara

    3 semanas atrás  

    O hospital da criança de fato está com as obras paralisadas, passo de vez em quando na avenida dos franceses e não vejo sinal de nenhum operário trabalhando por lá, quanto ao loteamento na saúde é algo que se tornou corriqueiro não só na secretaria de saúde como em muitas outras, a população não se dá conta de que se alguém é desastroso na primeira gestão, na segunda não será diferente foi isso que aconteceu com Edivaldo não deu certo nos primeiros quatro anos e não está dando agora.

  2. ricardo

    3 semanas atrás  

    Se tem muitos servidores é sinal que que haverá atendimento necessario

  3. Clara

    2 semanas atrás  

    Sei que nos ultimos meses a prefeitura vem investindo bastante na área de saúde e logo deve dar seguimento com as obras paralisadas

  4. Flavio

    2 semanas atrás  

    Acredito que se existe claramente tal quantidade de funcionários, existe também uma responsabilidade com a demanda de atendimento.

  5. Maria

    2 semanas atrás  

    Em pleno século XXI ainda tem quem acredite em papai Noel, um número excessivo de servidores não quer dizer sinal de bom atendimento, o que existe é o tal cabide de emprego, a prova são as escolas que não é a área de saúde, mas em algumas são muitos funcionários e o serviço é deficitário, vou citar como exemplo a escola onde trabalho em que há cinco”profissionais” da limpeza sendo lá um jardim de infância com um número ínfimo de alunos, funciona parcialmente, e ainda assim a limpeza desta escola passa longe do ideal, funcionários que passam mais tempo na internet não têm tempo para fazer outras coisas, já sugeri ao secretário que mandasse fazer inspeção na limpeza das escolas de vez em quando, mas até hoje nunca foi ninguém da Semed fiscalizar como é feito o trabalho dos operacionais num claro descompromisso com os recursos públicos, assim caminha a gestão de Holanda para o descaso e o buraco.

  6. Maria

    2 semanas atrás  

    Esqueci de frisar que são cinco funcionários da limpeza sendo dois efetivos e três terceirizados, sendo que na prática dois deles dariam conta do trabalho e isso que eu não consigo entender, escolas particulares contam com média de dois auxiliares de limpeza e o resultado é muito melhor.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>