Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Roberto Rocha vai impetrar representação contra aplicativo

14 de maio de 2018 : 08:47

O senador Roberto Rocha (PSDB-MA) vai impetrar representação judicial contra o aplicativo “Detector de Corrupção”, por entender que é indevida a inclusão de seu nome, que não possui nenhum inquérito ou responde a processos na Justiça ligados à atos de corrupção.

“Dou um crédito de boa-fé aos autores do aplicativo, mas informo que tomarei medidas judiciais caso mantenham meu nome, associado a suspeitas de corrupção”, afirmou o senador, para quem o problema reside no fato do aplicativo não fazer distinção entre diferentes situações, como uma simples investigação, de ordem administrativa, de uma condenação em última instância.

O senador é citado em um único inquérito que trata sobre prestação de contas eleitorais de 2014, que já foi julgada e aprovada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão, inclusive com parecer favorável do Ministério Público.

“Trata-se de um caso de jus esperneandi, como dizem no meio jurídico, de um adversário político inconformado com a derrota. Como pode isso, que nada tem a ver com corrupção, estar sendo usado para denegrir o meu nome?”, afirmou.

A denúncia foi apresentada em 2017 contra Roberto Rocha, arquitetada por adversários políticos, apenas para buscar manchar uma biografia que não tem antecedentes de envolvimento com malfeitos.

O caso aguarda parecer da Procuradoria-Geral da República, seguindo seu curso normal no sistema judiciário. Para o senador, “faz parte de um processo mais amplo de criminalização da política tentar jogar num mesmo cesto todos os políticos, como se uma simples investigação fosse igual a uma sentença. Dessa forma, esse aplicativo, que poderia ser uma boa ideia, acaba sendo um desserviço à pedagogia democrática da população”, concluiu o senador.

Um comentário em “Roberto Rocha vai impetrar representação contra aplicativo”

  1. Pedro Malazarte

    5 meses atrás  

    Esse caso que envolve o Roberto Rocha é gravíssimo. Não se trata de “JUS SPERNIANDI” coisa nenhuma. O processo não nasceu da contestação de qualquer dos concorrentes por ele derrotado. Foi a própria justiça eleitoral que cruzou as informações prestadas pela coordenação de campanha do RR ao senado e constatou que este cometeu fraudeS – NO PLURAL – ao atribuir doações de campanha a empresas que nunca as fizeram e nem poderiam ter doado. Eu tenho um amigo que está sendo multado pela justiça eleitoral em mais de 300 mil reais porque a campanha do RR declarou que duas das suas empresas doaram para ele acima do teto permitido quando, na verdade, ele sequer o conhece, tem razões pessoais para dele desgostar e jamais lhe doaria 1 vintém. Dá uma ligadinha aí para o Cauby ( 98 987415010 ) e fale com ele vc mesmo. E o Cauby é só uma das vítimas! eu tenho conhecimento de mais 2 outras pessoas que estão na mesma situação. Condenadas a pagarem multas pesadíssimas por algo que nunca fizeram. O RR reconhece a falsidade das declarações e as atribui a um contador maldoso, por ele contratado, o cometimento das falta. Fato é, porém, que independentemente de quem cometeu o crime, são as contas de RR que estão inverídicas e reprováveis, portanto. A morosidade ou coisa pior é o que tem mantido esse cabra sentado na cadeira de senador. Os crimes eleitorais dele são gravíssimos e insanáveis! É só cavucar que acha!

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>