Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

A acirrada busca pelos votos de São Luís para disputa de deputado estadual

19 de Janeiro de 2018 : 09:25

Com a entrada de Helena Duailibe na disputa por uma vaga na Assembleia Legislativa, a eleição de 2018 promete ser uma das mais acirradas por aqueles que tem seu maior contingente eleitoral em São Luís. Os candidatos ligados ao prefeito da capital e os candidatos a prefeito derrotados são os que tem tido maior aproveitamento, exemplos disso: Gardeninha Castelo em 2010 com mais de 25 mil votos, Eliziane Gama em 2010 com mais de 21 mil votos e Edivaldo Holanda Braga em 2014, segundo mais votado com mais de 17 mil votos e Afonso Manoel (foi candidato a vice-prefeito) com mais de 15 mil votos.

Em 2018 entra com ampla vantagem e favoritismo, o deputado estadual Wellington do Curso (PP), que concorreu ao cargo de prefeito em 2016. Mas outros nomes fortes estão na corrida, além da própria Helena Duailibe; o vereador Honorato Fernandes (PT); o secretário Neto Evangelista (PSDB); o deputado estadual Sérgio Frota (PSDB); o diretor-presidente do PROCON, Duarte Júnior (PCdoB) são fortes nomes assim como os que estão sem mandatos Yglésio (sem partido), Fábio Câmara (MDB) e Rose Sales (PMN).

Ainda não se sabe quem será o nome do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, uma vez que existe uma forte tendência do seu pai não disputar o cargo por conta de um câncer que enfrenta. A esposa, Camila Braga é cotada, apesar da negativa dela.

Assim como ocorreu em 2014 que os votos foram mais disputados, consequentemente mais distribuídos. Uma vez que o mais votado – Sérgio Frota – teve 20.783 votos e o décimo mais votado – Yglésio Moises – apareceu com 10.949 votos. Em 2010, a mais votada Gardeninha Castelo despontou com 25.561, enquanto que o décimo – Pavão Filho – se manteve na faixa de 10.199 votos.

Um detalhe que deve ser levado em conta também é que concentrar votos em São Luís nem sempre é garantia de eleição certa. Exemplo disto é Afonso Manoel (PRP), Fábio Câmara e Yglésio que estiveram entre os dez mais votados na capital em 2014, mas acabaram não se elegendo. Em 2010, dois não alcançaram seus objetivos apesar do bom desempenho, Nonato Aragão e Pavão Filho.

Em 2018, muitos votos vão estar soltos também por conta da ausência dos deputados estaduais que vão alçar outros voos como é o caso de Bira do Pindaré que obteve mais de 17 mil votos e Andréa Murad que alcançou 11.222 votos, ambos vão concorrer ao cargos de deputado federal.

A briga promete ser boa e um bom desempenho pode credenciar na disputa pela Prefeitura em 2022.

Os dez mais votados para deputado estadual em São Luís em 2010:

Gardeninha Castelo – 25.561
Eliziane Gama – 21.022
Edivaldo Holanda Braga – 19.521
Afonso Manoel – 18.855
Raimundo Cutrim – 18.817
Ricardo Murad – 18.810
Bira do Pindaré – 14.195
Roberto Costa – 12.146
Nonato Aragão – 11.952
Pavão Filho – 10.199

Os dez mais votados para deputado estadual em São Luís em 2014:

Sérgio Frota – 20.783
Edivaldo Holanda Braga – 17.983
Bira do Pindaré – 17.978
Wellington do Curso – 17.138
Afonso Manoel – 15.576
Roberto Costa – 15.281
Fábio Câmara – 11.999
Neto Evangelista – 11.472
Andréa Murad – 11.222
Yglésio Moises – 10.949

Um comentário em “A acirrada busca pelos votos de São Luís para disputa de deputado estadual”

  1. Danilo

    4 meses atrás  

    Tomara que a pupulação faço uma boa escolha.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>