Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Vereador Estevão Aragão denuncia que Prefeitura de São Luís vai gastar R$60 milhões com a Coliseu

Na sessão desta segunda-feira, dia 13, o vereador Estevão Aragão (PSB) abordou a questão sobre a COLISEU (Companhia de Limpeza e Serviços Urbanos), uma empresa que não presta nenhum tipo de serviço desde 2007. Segundo o próprio prefeito Edivaldo Holanda (PDT), numa mensagem enviada à Câmara Municipal, acompanhada do projeto de lei 077/2017, que determinava o procedimento de liquidação da COLISEU, dizia: “Note-se que desde o ano que foi encerrado a sua atividade em 2007, o Poder Executivo Municipal vem adotando atos administrativos no sentido de mitigar o passivo da empresa e liquidá-la… É de ser destacado, por fim, que atualmente ainda que a COLISEU não mais execute qualquer serviço público, a companhia representa grandes prejuízos ao erário municipal.”

A COLISEU há mais de 10 anos não executa nenhum serviço. Sendo matéria de um jornal de grande circulação com o tema: “Caso COLISEU: Prefeitura joga no lixo R$70 milhões de reais em 9 anos.”

A crise, tão propagada pela base aliada na Câmara Municipal, poderia ser amenizada se o Executivo imprimisse uma gestão responsável dos recursos públicos. Seria melhor se desse prioridade, por exemplo, às 25 creches prometidas ou ao tão sonhado Hospital da Criança.

Mas o que se observou foi que no PPA (Plano Plurianual) o prefeito Edivaldo Holanda (PDT) colocou no orçamento para a Coliseu um aumento astronômico, saltando de R$ 7 milhões anuais para mais de R$ 15 milhões anuais, ou seja, nos próximos 4 anos pretende-se gastar mais de R$ 60 milhões numa empresa falida e sem serviços a prestar.

Estevão Aragão(PSB) pediu explicações sobre ter-se dobrado o valor do orçamento, sendo que por meio de documentos oriundos da própria Prefeitura, esta relata que a COLISEU não presta nenhum tipo de serviço público.

A Prefeitura de São Luís até o momento não se manifestou.