Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Para justificar falta de apoio a Marcha para Jesus 2017, Flávio Dino disse que nem sabia do evento

Na última semana, este blog publicou com exclusividade a informação de que o governador Flávio Dino (PCdoB), não iria apoiar a Marcha para Jesus 2017 a ser realizada nesta quinta-feira (2), em São Luís. Em imediata ação da deputada federal Eliziane Gama (PPS), o comunista voltou atrás e decidiu apoiar o movimento evangélico. Como justificativa para demora na oferta de apoio aos cristãos, Dino disse que estava nem sabendo que o evento ia acontecer.

A resposta de Flávio Dino irritou profundamente os evangélicos, afinal como um governador não tem conhecimento da Marcha para Jesus em São Luís e logo a que vai comemorar os 500 anos da Reforma Protestante?

Na opinião dos líderes evangélicos, Flávio Dino deu uma de “João sem braço”, para não confirmar a história que envolve política e religião, relacionada a questão do Pastor Porto (PPS).

No fim das contas, o governador Flávio Dino através de seus fornecedores garantiu trios elétricos e passagens aéreas para os participantes do evento. Os organizadores disseram que a ajuda esperada do Governo do Maranhão ficou bem aquém do esperado, mas o ofertado já ajuda.

A Prefeitura de São Luís garantiu o som da Marcha para Jesus que ocorre no trajeto entre o Aterro do Bacanga até a Praça Maria Aragão, onde ocorre o encerramento com muitos shows e momentos de fé.

Em tempo, o governador ao justificar também o seu não encontro com o embaixador de Israel na semana passada, Flávio Dino voltou a dizer que não sabia da relação do israelita com a comunidade evangélica.