Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

A esperança e a promessa de mudança deu lugar a decepção e medo no governo Flávio Dino

“A história vai mudar, pode acreditar, não tenha medo”, assim cantava um dos versos do jingle de Flávio Dino na disputa eleitoral. Com um discurso forte de mudança, esperança e renovação, o comunista foi eleito com 63% dos votos válidos. Naturalmente, o desejo da população era que essa promessa se concretizasse, mas o tempo passou e às vésperas do quarto de ano mandato, o que existe é um grande sentimento de decepção.

Desde que chegou ao governo, todo problema que aparece no Maranhão, Flávio Dino e seus asseclas logo levantam e disparam: “culpa de Roseana e dos governos passados (estão incluídos também Zé Reinaldo e Jackson Lago)”.

Não há nenhum erro, nenhum equívoco assumido pelo governo Flávio Dino. E quem ainda se levanta e prova que a situação está errada, ainda vira alvo de perseguição, vigilância e sabotagens, se duvidar vira alvo de uma operação policial para ser desmoralizado.

Parece que o Maranhão vive em estado de sítio. Pode ser coincidência, mas na Justiça o governador Flávio Dino ganha praticamente todas as ações e até uma suposta interferência na eleição do Tribunal de Justiça foi cogitada.

A mídia está praticamente silenciada (sobram Grupo Mirante e rádio Difusora AM). Através de arrendamentos e jorrando dinheiro público em publicidade, Flávio Dino tenta mostrar para o maranhense que está decepcionado, uma realidade completamente diferente da que está exposta diante dos seus olhos, desde ao sair de casa.

A Polícia atua de forma repressora e autoritária, um governo que prometia se tornar ouvinte dos movimentos sociais, agora mandar prender e bater no povo que decidir protestar contra os problemas do estado. E aquele que tiver o azar de ser preso vai para uma cela que lembra bem as masmorras da Idade Média.

Não há mais direito da livre expressão no Maranhão. A alegria que iria chegar prometida por Flávio Dino virou decepção, tristeza e a falta de esperança em um estado melhor.

Por conta de desavenças políticas, Flávio Dino pune o povo. Basta acompanhar, se um prefeito cobra publicamente ou é declarado apoiador de outro candidato ao governo, o comunista manda cortar qualquer tipo de ajuda do estado. Ele que foi um operador do direito, esquece que o recurso público é de todos e não só dos seus interesses.

Aqueles discursos e as frases tão propagadas de que a “República estava instalada no Maranhão”, “os Leões não vão rugir contra o povo”, entre outras, apenas não passaram de pura balela, afinal exatamente o contrário está ocorrendo no Maranhão.

Aos poucos, os políticos vão se levantando e tendo coragem de mostrar sua decepção e indignação com uma postura tão inescrupulosa, e aqui cabe citar, a ex-prefeita Maura Jorge, a primeira que insurgiu contra o autoritarismo do comunista. Depois vieram outros até chegar a um prefeito do próprio PCdoB. Hilton Gonçalo revelou sua decepção com o tratamento dispensado pelo Palácio dos Leões.

Por ser pré-candidato a um cargo majoritário em 2018, mas sem o aval do PCdoB, Hilton Gonçalo vem sofrendo perseguições, porém estas acabam prejudicando o povo de Santa Rita.

Porém o maior grito de revolta vem da população maranhense que não aguenta mais o governo comunista. Não aguenta mais as mentiras de Flávio Dino. Não aguenta mais as desculpas esfarrapadas. Não aguenta mais a transferência de culpa para os Sarneys. E não aguenta mais esperar a hora de chegar à mudança de verdade…

A seguir veja alguns relatos de decepção do povo maranhense com o governador Flávio Dino: