Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Edivaldo Holanda Júnior: apenas um homem covarde e desleal

Um homem tem sua qualidade moral aprovada pelas virtudes que ele possui. E pelo que se percebe, Edivaldo Holanda Júnior (PDT), provou que não possui nenhuma. Na tarde de segunda-feira (24), de forma covarde e desleal o prefeito de São Luís mandou exonerar a secretária de Saúde, Helena Duailibe (PMDB), a quem ele tratava como amiga e demonstrou que a relação construída ao longo de anos para ele não vale de nada.

Como sempre faz, Edivaldo não teve a coragem de informar pessoalmente à Helena Duailibe, sobre a sua decisão – leia-se imposta por Flávio Dino – e designou o secretário de Articulação Política, Jota Pinto (PEN), para informa-la da exoneração.

Além de covarde, ainda foi mentiroso, pois mentiu ao afirmar para a sua então secretária de Saúde, que não estaria no Palácio La Ravardiere, para conversar com ela, porém foi facilmente desmascarado pelos próprios que trabalham com ele.

Pior do que a deslealdade, covardia e a mentira foi a proposta indecente feita à Helena Duailibe. Edivaldo propôs que a médica comunicasse a imprensa, que ela estava pedindo demissão por problemas de saúde ou então que ela inventasse um problema familiar.

Um hipócrita, assim também pode ser classificado Edivaldo ao propor isso para Helena, logo ele, que se diz um homem de Deus e de família. Com absoluta certeza, não é nada divino e fraternal tais pedidos.

Edivaldo Holanda Júnior esqueceu de todo o papel exercido por Helena Duailibe na campanha da reeleição. A ex-secretária de Saúde foi fundamental para algumas alianças políticas e milhares de votos ao prefeito, exemplo disto é a votação do marido dela, Afonso Manoel (PRP) recebeu quase dez mil votos, expressiva votação para um vereador.

O prefeito de São Luís demitiu Helena Duailibe por pressão do governador Flávio Dino e demais comunistas em troca da manutenção da parceria com o governo do estado. Porém, Edivaldo não trocou apenas uma articuladora política por asfalto, mas sim uma excelente gestora, conhecedora do sistema pública de saúde e principalmente uma aliada fiel pela subserviência ao Palácio dos Leões.

São Luís é governada por um homem que não merece o status que possui. Edivaldo ficará eternamente gravado na história como prefeito da principal cidade do Maranhão, mas também será eternamente lembrado por sua covardia e deslealdade. Helena não é a primeira vítima e nem será a última, ela é apenas mais uma. A diferença dela para os demais é que a ex-secretária de Saúde, se entregou por demais a um projeto que é marcado pelo fracasso.

Edivaldo Holanda Júnior jogou fora uma aliança que foi construída ainda no segundo turno da eleição de 2012, quando então vice-prefeita de João Castelo e recém-eleita vereadora de São Luís, Helena declarou apoio à sua candidatura.

Hoje, Helena Duailibe ainda deve está atônita com a decisão do prefeito de São Luís. É difícil de entender certas posturas, mas a médica deve lembrar que ao contrário de Edivaldo Holanda Júnior, ela tem conhecimento; experiência; conhecida por ser uma mulher fibra; honesta e bem diferente do prefeito teve coragem para enfrentar um sistema falido, mas mesmo assim buscou dar dignidade à aqueles que necessitam a rede pública municipal de saúde.

Enquanto isso, Edivaldo Holanda Júnior é somente um homem covarde e desleal. Pena de suas filhas que vão passar a vida sendo enganadas pela velha história de que o pai é um homem simpático e temente a Deus, mesma história vendida a milhões de maranhenses que foram enganados em 2016 e hoje padecem sob a gestão de um incompetente, que não possui virtude nenhuma.