Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Todos que se encontraram com o advogado Willer Tomaz estão sendo monitorados pela Polícia Federal

O ministro do Supremo Ricardo Lewandowski, governadores, deputados,  senadores e empresários, todos estão sendo monitorados pela Polícia Federal com autorização judicial. O motivo da vigilância seria a relação destes com o advogado da JBS, Willer Tomaz. A partir desse fato foi possível tomar conhecimento que o deputado federal Weverton Rocha (PDT), esteve quatro vezes na prisão para visitar o amigo, sócio e representante jurídico.

A informação da vigilância daqueles que tiveram contato com Willer Tomaz é do jornalista brasiliense, Mino Pedrosa. É revelado ainda que que a Polícia Federal ao deflagrar a operação da fatídica quarta-feira, 18 de maio, é que a busca e apreensão nos escritórios de Willer Tomaz levariam a um emaranhado que só agora se revela. Naquele bunker no Lago Sul em Brasília, foi aberta uma fossa de dimensões inimagináveis.

As primeiras investigações apontam estreita relação entre Willer Tomaz e o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, porém o escândalo, que por ora apresenta apenas a ponta do iceberg, mostra a influência do advogado Willer Tomaz no Judiciário e no Ministério Público, além do Executivo e Legislativo. Os áudios captados pela Polícia Federal estão sendo periciados e separados os negócios lícitos dos ilícitos. Também estão sendo analisadas imagens do circuito interno do escritório e o livro que relaciona o nome dos clientes com data e tempo de atendimento.

Este blog já tinha noticiado que Willer Tomaz mantinha relação com vários deputados federais e estaduais do Maranhão, assim como prefeitos, secretários de estado e empresários. 

Alguns apontam que todos aqueles que mantiveram relações com Willer Tomaz que se preparem para uma verdadeira combustão que vai gerar uma bomba com estilhaços que vai pegar muita gente…