Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Governo Flávio Dino deve pagar patrocínio milionário a escola de samba de SP apadrinhada pelo PCdoB

No melhor estilo “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”, o governo Flávio Dino continua agindo. Mais um exemplo das críticas comunistas durante o tempo de oposição, que agora estão sendo praticadas vai poder ser observado em fevereiro de 2018. No Sambródomo do Anhembi, o Maranhão vai passar e ser cantado pela escola de samba Acadêmicos do Tatuapé, atual campeã do carnaval paulistano. Curiosamente a agremiação carnavalesca tem como madrinha, a deputada estadual de São Paulo, Leci Brandão do PCdoB.

Com o tema “Maranhão: os tambores vão ecoar na terra da encantaria”, o estado deve virar o centro das atenções no carnaval de 2018, uma ótima oportunidade para divulgar o estado e incentivar o turismo. Afinal a principal emissora do país – Rede Globo – transmite ao vivo o desfile, o que é certeza de uma ampla divulgação.

A questão é que por motivos óbvios, o samba-enredo sobre o Maranhão não vai sair de graça e o governo Flávio Dino deve gastar pelo menos R$1 milhão com a promoção do estado no carnaval de São Paulo. Por ser a atual campeã, a Acadêmicos do Tatuapé está extremamente valorizada. E o que chama atenção é que quando estavam na oposição, os membros do atual governo condenavam a mesma ação desenvolvida pela ex-governadora Roseana Sarney em 2012, quando destinou um patrocínio oficial de R$1,5 milhão a Beija-Flor que cantou “São Luís: o poema encantado do Maranhão”.

Vale lembrar que não é a primeira vez que o Maranhão vai ser cantado no Anhembi. Em 2010, a Acadêmicos do Tucuruvi cantou “São Luís do Maranhão: um universo de encantos e magias”, patrocinada na época pela Prefeitura de São Luís na gestão de João Castelo (falecido). De acordo com informações obtidas, o patrocínio oficial a escola de samba foi de R$300 mil, mas ainda foram oferecidos outros serviços que aumentaram os gastos.

Outra curiosidade, além da Acadêmicos do Tatuapé ser uma escola apadrinhada por Leci Brandão PCdoB – que já recebeu R$55,2 mil para cantar no réveillon de São Luís em 2016 – é que o sambista da agremiação carnavalesca é o Wagner Santos, o mesmo que era responsável pelo carnaval da Tucuruvi em 2010.

Em conversa com especialistas em carnaval e turismo foi informado que o custo do Governo do Maranhão vai ser além do oficial que deve ser divulgado no portal da transparência, afinal existem outros gastos que não são oficializados como oferta de hospedagens e passagens para pesquisa de membros da escola em São Luís. Assim como material impresso, shows promocionais etc.

É muito provável, assim como todas as outras vezes, o secretário de Comunicação e Articulação Política, Márcio Jerry, diga que não vai haver gasto nenhum e que tudo será na camaradagem comunista de Leci Brandão para com o governo Flávio Dino em pleno ano eleitoral.

Em relação as escolas que cantaram o Maranhão recentemente, ambas não obtiveram bons resultados. A Beija-Flor que costuma ser campeã do carnaval do Rio de Janeiro ficou apenas em 4º lugar e a Tucuruvi terminou com um decepcionante 8º lugar.