Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

“Acredito que essa relação com o governador precisa ser melhorada, existem muitas queixas”, diz André Fufuca

28 de fevereiro de 2016 : 07:00

fufucaeflavioEm seu primeiro mandato na Câmara Federal, o deputado André Fufuca (PEN), já se destaca ao alcançar o posto de coordenador da bancada maranhense. Posto este alcançado por uma boa articulação e trânsito no Congresso Nacional.

O jovem parlamentar concedeu entrevista a este jornalista e fala sobre diversos temas, entre eles quanto ao relacionamento com Flávio Dino (PCdoB), que não é dos melhores. Sua postura independente em relação ao governo estadual, assim como projetos futuros.

Confira na íntegra a entrevista:

Blog Diego Emir – André Fufuca, você está no primeiro mandato de deputado federal e já alcança o posto de coordenador da bancada maranhense. Você esperava em tão pouco tempo alcançar esse destaque?

André Fufuca – Sinceramente não. Eu esperava competir por este cargo, mas ainda não seria no meu segundo ano de mandato. A partir do momento que findava o mandato do nosso amigo Pedro Fernandes (PTB), que foi um grande coordenador, eu vi uma abertura. Então decidi atuar nos bastidores em busca e poder chegar a essa conquista. Primeiro conquistei apoio do grupo (PMDB e PEN), e logo depois a declaração de apoio de amigos de outros partidos que nos ajudaram na composição e em pouco tempo já tínhamos o apoio dos três senadores em torno do nosso projeto. Eu me senti fortalecido com essa escolha. Ser escolhido em meio a três ex-governadores. Eu tenho tão pouco tempo de Câmara Federal e alcanço esse posto dessa envergadura. Vou trabalhar muito para corresponder essa confiança. Fui eleito com o apoio de 15 deputados federais e 3 senadores.

Fufuca logo que você foi escolhido para ser coordenador de bancada, você acabou virando alvo de ataques de setores da mídia. A que se deve isso?

Eu prefiro respeitar todos os comentários feitos, favoráveis ou não. No quis diz respeito a desqualificação que tentam fazer a minha pessoa, não sei precisar de onde vem, mas não quero acreditar que isto parta de um grupo político. Até porque a coordenação política é um cargo apartidário, eu fui eleito com votos da oposição e governistas. Eu sempre deixei claro que não serei oposicionista e nem subserviente, mas sim lutar pelo fortalecimento da bancada. Então aqueles que fazem as críticas, eu respeito, mas não concordo com tais opiniões.

Deputado qual é a sua postura em relação ao Governo do Estado?

A minha postura é de independência, assim como foi na Assembleia Legislativa. No entanto, brigo por conquistas para o nosso estado. Eu acho que em alguns casos eu trilhei pela oposição, assim como pela situação, mas principalmente busquei coisas grandes para o nosso estado. Eu não quero aqui de certo modo, mudar meu pensamento. Quero lutar pelo fortalecimento da bancada. Sou independente, defendo meu estado acima de qualquer questão partidária. Quem for oposição ou situação, respeito, porém aquilo que vier a ser considerado bom para o estado, seja de quem vier, terá o meu apoio. Me considero um deputado independente, mas pertencente ao partido do Maranhão.

Como você avalia a relação do governador Flávio Dino com a bancada maranhense?

Eu acho que é uma relação que tem de ser aprofundada. Conversei com o governador e ele se prontificou a melhorar o seu relacionamento, inclusive participar da reunião da bancada para discutir alguns assuntos importantes para o nosso estado. Para ser sincero, acredito que essa relação com o governador precisa ser melhorada, existem muitas queixas, porém ainda temos tempo para avançar e para crescer. Acredito que os erros cometidos no primeiro ano podem ser corrigidos nos próximos três anos. Resumindo, acredito que a relação entre o governador e a bancada federal precisa melhorar muito.

O que difere a atua atuação na Câmara Federal para Assembleia Legislativa?

Na Assembleia, você vive no estado e está mais próximo da população. Na Câmara Federal, apesar de estar mais longe, você participa mais das decisões mais importantes do país, você acaba se considerando mais útil para o seu país. Em tudo busco melhorias para o nosso estado. Porém considero que o Congresso Nacional agiganta o parlamentar.

Qual tua opinião sobre o processo de cassação de Eduardo Cunha?

Eu acho que o presidente Eduardo Cunha deve ter o seu direito de defesa concedido. Ele com mais de 200 que estão naquela Casa foi citado em um processo, se ele for denunciado vai virar réu, só condenado ele perderá o seu mandato. Não é justo oferecer um tratamento de benevolência e malevolência a ninguém, pois assim como ele não deve ser preferido por ser presidente da Câmara, ele não pode ser preterido. Então eu defendo que o tratamento jurídico que qualquer cidadão, qualquer deputado, tenha direito, ele possa exercer. E só se condenado for – pois temos histórico de políticos que foram inocentados pelo STF, como o ex-presidente Collor – devemos opinar sobre o futuro dele. Defendo as prerrogativas que ele tem direito a serem mantidas.

E a sua opinião sobre o impeachment da presidente Dilma?

Eu sou contra o impeachment. Pois não vejo isso como uma saída. Darei um exemplo: você não pode eleger um prefeito em uma cidade e se for por conta da crise no primeiro ou segundo ano de mandato resolver usar a Câmara para cassar o prefeito. Essa possível cassação abre um precedente perigoso. As Assembleias vão cassar os governadores? A saída não é tirar a Dilma, a saída é arrochar a economia, buscar o equilíbrio na administração público.

Você vai trocar de partido político?

Eu vou trocar de partido por questões ideológicas. Tenho amigos na legenda, como o presidente Jota Pinto e o companheiro de bancada, o Júnior Marreca. Porém ainda não sei para qual partido eu irei.

Fufuca tu tens intenção de colocar o teu futuro partido na disputa pela Prefeitura de São Luís?

Se o partido que eu for, eu tiver o controle das principais cidades, ele terá sim um candidato a prefeito. Eu quero inclusive ter um candidato a prefeito em São Luís.

Qual teu projeto para o futuro?

Eu não tenho idade para pensar em outros cargos. Até os 30 anos, eu só posso ocupar esse cargo que estou. Meu foco é trabalhar para a reeleição de deputado federal. Porém não nego que tenho interesse de no futuro disputar um cargo majoritário.

Em Alto Alegre quem será o candidato do seu grupo?

O que tiver melhor posicionado. Não serei de forma alguma candidato a prefeito, acredito que possa ajudar Alto Alegre estando em Brasília.

Como é a tua relação com Eduardo Cunha?

É meu amigo. Sou aliado de primeira hora. Não é porque ele está respondendo a isso ou aquilo, que deixarei de ser amigo dele. Tenho um relacionamento próximo com ele, assim como outras colegas. Porém sei que chama atenção, um deputado de primeiro mandato ter uma relação estreita com o presidente da Câmara. Minha amizade com ele não envolve política. Quem tenta me condenar por conta do meu relacionamento com Eduardo Cunha, deve pensar que todo cidadão vive em uma sociedade com direito pleno a legítima defesa. Os cargos que ocupei foram por conta do partido que eu ocupei, fruto do relacionamento que tive na Câmara e no Bloco.

3 comentários em ““Acredito que essa relação com o governador precisa ser melhorada, existem muitas queixas”, diz André Fufuca”

  1. genildo salles

    4 anos atrás  

    nobre deputado ANDRE venho por meio deste, em nome da minha comunidade AUZILANDIA, que por sinal é o primeiro distrito de ALTO ALEGRE DO PINDARE. GOSTARIA DE SABER DE VOSSA EXCELENCIA QUAL FOI O PROJETO DE LEI QUE VOSSA SENHORIA DESTACOU PARA O SEU MUNICIPIO? TANTO COMO DEPUTADO ESTADUAL. QUANTO FEDERAL? NADA!!! ME ENVERGONHA TER VC COMO NOSSO LEGITIMO REPRESENTANTE.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>