Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Ricardo Murad planeja fechar hospitais Juvêncio Matos, Getúlio Vargas e Benedito Leite

4 de novembro de 2014 : 17:00

O Imparcial


por Diego Emir

Três tradicionais casas de saúde devem fechar as portas em São Luís. Pelo menos esse é o planejamento da secretaria estadual de Saúde. A ideia do atual secretário Ricardo Murad é oferecer a população de São Luís, novas unidades, proporcionando melhora no atendimento e conforto aos usuários. Por isso a partir do final de novembro deste ano, a Maternidade Benedito Leite na Rua das Cajazeiras fechará suas portas e assim deve ocorrer com o Hospital Juvêncio Matos e Getúlio Vargas, só que estes em prazo maior, dois anos.

Todos estes hospitais vão passar a funcionar em estruturas modernas. A Benedito Leite por exemplo terá sua nova unidade no bairro da Cohab, a qual deve ficar pronto no fim de novembro e será entregue ainda pela governadora Roseana Sarney. Já o Juvêncio Matos e o Getúlio Vargas terão seus leitos deslocados para o anexo que está sendo construído no Hospital Carlos Macieira.

O secretário Ricardo Murad explica, que a medida está sendo tomada, pois todos os atuais prédios que abrigam os hospitais citados são muito antigos e podem ser considerados obsoletos. “Não existe mais sentido utilizar unidades extremamente antigas, por isso estamos deixando recursos para finalização da construção do anexo Carlos Macieira e entregaremos a nova Benedito Leite”, informou.

Murad explica que não vai haver prejuízo nenhum para população, pelo contrário, uma oferta maior de leitos será oferecida. Para se ter ideia no anexo do Carlos Macieira vão funcionar 200 leitos, dos quais 100 vão ser destinados para pediatria e outros 100 para tratamento de doenças infecciosas, que é o foco principal dos pacientes do Getúlio Vargas. Além disso será implantada também a UTI pediátrica, a qual será ampliada e terá uma estrutura maior que do Materno Infantil, principal hospital para crianças no estado, atualmente.

O investimento nessa construção de nova unidade do Carlos Macieira está avaliada em R$52 milhões e tem o prazo para ficar pronta em 2016. Ricardo Murad fez questão de lembrar que deixará a secretaria municipal de Saúde com dinheiro em caixa para conclusão da obra.

A secretaria estadual de Saúde foi procurada para fornecer dados atuais de quantos atendimentos são realizadas nas unidades hospitalares e uma estimativa de quantos passarão a ocorrer, porém não houve retorno por parte da assessoria de comunicação do órgão.

Novo governo

A reportagem de O Imparcial, procurou Marcos Pacheco, indicado para ocupar a secretaria de Saúde no governo Flávio Dino. O médico foi questionado sobre o projeto que está sendo executado pelo atual governo Roseana e como será a continuidade durante a sua gestão.

De forma ponderada, Pacheco informou que tem primeiro que tomar conhecimento do que está sendo feito e isso ainda não ocorreu no momento, pois os documentos da transição do setor da saúde ainda não foram entregues a ele.

“Preciso sentar com a equipe atual da secretaria de saúde, de forma serena, para que possamos discutir esse planejamento. Eu prefiro aguardar. É uma possibilidade que isso possa ocorrer”, declarou.

Marcos Pacheco informou ainda que tratará a saúde do Maranhão de forma técnica, por isso qualquer posicionamento contra ou favor da atual medida planejada por Ricardo Murad seria uma irresponsabilidade.

No entanto ele deixou claro que em sua gestão, “toda criança será assistida, toda gestante acolhida e todo idoso bem cuidado”, completou Marcos Pacheco.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>