Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Advogada maranhense afirma que muitas mulheres usam de vitimismo para criar falsas denúncias de violência a mulher

2 de junho de 2022 : 19:50

A advogada criminalista maranhense, Sâmara Braúna, que concorreu a presidência da OAB em 2018, fez uma publicação polêmica em sua página pessoal no Instagram. Após o resultado do julgamento envolvendo o ator Johnny Deep e a atriz Amber Heard, a causídica comemorou a vitória do astro da trilogia “Piratas do Caribe”. Na oportunidade, ela afirmou que existem sim mulheres que cometem abusos, crimes e violências contra homens, mas se utilizam do vitimismo e da força do movimento femininista para descredibilizar essa hipótese.

A seguir o texto na íntegra da advogada:

DEPP INOCENTE!

Sem delongas, até porque, para quem acompanhou o julgamento, por mais leigo que seja, conseguiu extrair 4 realidades de um acusado em processo penal.

A primeira e mais importante das realidades é que todos ACUSADOS SÃO PRESUMIDAMENTE INOCENTES, até o julgamento final, no entanto o que acontece é o contrário.

Em casos que envolvem violência contra mulher, e não falo só de violência doméstica, mas também acusações de estupro, com base somente na palavra da mulher, o acusado já entra no processo presumidamente culpado, sendo julgado antecipadamente pela opinião pública.

Segunda realidade: muitas mulheres utilizam de uma pauta legítima, que é o combate à violência contra a mulher, para fins escusos, enfraquecendo verdadeiras vítimas.

Terceira: mulheres cometem abusos, crimes e violência contra homens, no entanto, muitas se utilizam de vitimismo e da força do movimento feminista para descredibilizar essa hipótese.

Quarta e última realidade: eu atuo na defesa desses homens com muito louvor e sei quantos e o quanto são vítimas de um sistema opressor a pretexto de proteger mulheres contra um tal de patriarcado.

Observação: a violência contra mulheres é uma realidade, infelizmente! No entanto, existem muitos Depps à espera de um milagre: JUSTIÇA!

Resultados como este só indicam que estou no caminho certo!!

Não posso deixar de registrar a brilhante atuação da advogada do ator!

11 comentários em “Advogada maranhense afirma que muitas mulheres usam de vitimismo para criar falsas denúncias de violência a mulher”

  1. 2 meses atrás  

    Virei fã dessa mulher, Samara Braúna. Parabéns, pela coragem!!!!

  2. Lilah Barrêto

    2 meses atrás  

    Esse deslumbre com um caso hollywoodiano me fez lembrar de um caso também muito alardeado, mas bem mais próximo da nossa realidade: o caso João de Deus. Foram necessárias as vozes de quantas mulheres para fazer frente à voz de UM homem? Centenas. Antes disso, registre-se, ele foi inocentado quando uma vítima teve coragem de fazer a denúncia sozinha. Por que lembrar desse caso? Porque o texto faz parecer que se presumem sempre verdadeiras as palavras de uma mulher. Quando a realidade que se enfrenta, apontada em pesquisas científicas sérias, inclusive conduzidas por agências internacionais de Direitos Humanos, mostram que as mulheres são revitimizadas em nosso sistema de justiça, pois elas são colocadas na posição de rés. Interessante observar que a palavra de uma mulher, para ter credibilidade, precisa ser ratificada por outras inúmeras evidências ou outras vítimas do mesmo agressor – o que, via de regra, é quase impossível reunir na prática de crimes tipicamente cometidos em ambientes íntimos e familiares – e, ao revés, basta UM caso de celebridades num sistema de justiça bem diferente e distante do nosso (e que também possui erros históricos) para deslegitimar uma avalanche de estatísticas, uma luta pelo enfrentamento de um problema crônico que vítima mulheres em todo o mundo e, de forma estarrecedora, no Brasil. UM CASO contra uma cultura histórica de machismo e injustiças das próprias instituições estatais, centenas de mulheres para contrapor a palavra de UM homem. Essa é a realidade que o achismo impressionável com histórias de celebridades reforça e o desserviço a que se presta.

  3. SAMMIS ELY

    2 meses atrás  

    Dr (a) Sâmara vossa excelência está de parabéns eu já fui vítima de uma mulher, mais a palavra dela prevalece e usam isso pra prejudicar o homem, mesmo eu provando minha inocência na justiça nada aconteceu com a mulher pelos crimes de injúria, calúnia e difamação perdi até meu emprego por conta disso … são Luís Maranhão

  4. cesar

    2 meses atrás  

    Polêmica nada
    Tudo mundo sabe
    Ta cheio de mulher fazendo falsa denúncia sim

  5. Sammis

    2 meses atrás  

    Cadê os direitos iguais lei pra todos , Nadja acusou Neymar de estupro e etc mais nada aconteceu com ela por que foi absorvida ?? Por isso os casos de mortes contra mulheres só aumenta por tanta mentiras e perseguição contra o homem…

  6. Sammis

    2 meses atrás  

    A mulher deveria assinar um termo de que tudo que ela fala contra o homem seja verdade caso contrário ela automáticamente seria presa em flagrante

  7. heron

    2 meses atrás  

    O grande equívoco da articulista é pesar a mão na retórica para tomar exceções pela regra, falseando a realidade com casos e personagens de cinema. Infelizmente, é ignorado o cenário de descontrole social e violência doméstica sobre o qual assentado o sistema normativo especial de proteção aos direitos humanos das mulheres. Na vida real, mulheres colecionam boletins de ocorrência antes de serem assassinadas. O Brasil tem a quinta pior estatistica de feminicidio do mundo. E isso não é invenção do feminismo.

  8. cacador

    2 meses atrás  

    Sindrome de mulher de potifar é a figura jurídica tratada pela criminologia que evidencia a necessidade de confirmar os indicios de eventual ocorrência sexual, obstando denúncias falsas que tenham apenas a intenção de penalizar o agente acusado.

  9. Paulo César

    2 meses atrás  

    Enfim,apareceu uma competente advogada para restabelecer”em tese”que todos são iguais perante a lei(CF 88).Só quem já passou por um separação sabe as chantagens e ameaças que a ex faz,primeiro 99%pratica a “Alienação Parental”usando sempre o(a)menor para cada vez mais extorquir o ex.Lembro bem quuando da minha separação,lí um caso de uma ex-gerente de carreira, da agencia matriz da CEF em B.H.que antes de “pedir”a separação,pediu demissão depois de 22 anos na instiuição,simplesmente porque o Pai das duas menores era empresário do setor metalúgico ae,a financeiramente era bem melhor “para ela”a pensão,pelo poder aquisitivo do mesmo que,perdeu na 1ªinstancia/2ªinstancia e até hoje o STJ não julgou.E,que o Congresso mude o nome “Pensão Alimentícia”(esse nome dá impressão que o menor pode passar fome)e criar a Pensão Família.Parabéns Dra.Sâmara Braúna por defender os direitos fundamentais que não distingue gênero.P.S.As feministas aplaudem alguns sertanejos com músicas com apologia ao sexo “com as novinhas”,e só ver na mídia e redes sociais.Isso a Lei Maria da Penha não vê.

  10. Sergio Martins

    2 meses atrás  

    A Dra Sâmara está de parabéns pela coragem de tocar num ponto muito sensível e dominado por narrativas feministas ativistas. O abuso sofrido por mulheres é fato, é maioria é deve ser combatido com todo rigor, mas, há de se criar mecanismos que intimidem as falsas denúncias de abusos que tem se tornado cada vez mais comum de acontecer.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>