Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Encontro de Tática Eleitoral do PT deve ser adiado para os dias 4 e 5 de junho

25 de maio de 2022 : 08:52

Previsto para acontecer neste fim de semana, 28 e 29 de maio, a executiva estadual do PT, deve aprovar nesta quarta-feira (25), uma resolução para adiar o Encontro de Tática Eleitoral do partido, para os próximos dias 4 e 5 de junho. O adiamento deve ocorrer por conta de um imbróglio que envolve a divisão do número de delegados de acordo com as forças petistas internas.

O Encontro de Tática Eleitoral do PT serve para definir qual será o rumo do partido nas eleições estaduais. Na oportunidade, define-se quem será o candidato a governador a ser apoiado ou candidatura própria, assim como para o Senado. E também são registrados os nomes daqueles que tem intenção de disputar as vagas de deputado estadual e deputado federal.

Para o Encontro de Tática Eleitoral do PT no Maranhão ficou definido que 160 delegados vão participar com direito a voto. A divisão atual fica da seguinte forma: 80 delegados são do grupo de Francimar Melo/Zé Carlos; 42 delegados são do grupo de Zé Inácio; 21 delegados são do grupo de Luís Henrique; 15 delegados são de forças menores e 2 delegados distribuídos proporcionalmente entre as forças.

E é no grupo de Luís Henrique e das forças menores que está o imbróglio. Uma vez que existe uma tentativa de recontagem do número de delegados de acordo com as forças majoritárias do PT. Como o recurso só será avaliado nesta quinta-feira (26), pela executiva nacional do PT e existe uma previsão legal no regulamento do partido, que qualquer decisão que venha de um comando superior deve ser tomada até três dias antes do Encontro de Tática Eleitoral, os petistas maranhenses avaliam adiar o ETE com intuito de evitar um novo conflito.

Apesar de movimentarem as redes sociais em defesa de Weverton, os petistas Paulo Romão, Márcio Jardim e Honorato Fernandes, não são delegados e nem possuem representantes no Encontro de Tática Eleitoral para garantir uma viabilidade de sequer colocar o apoio ao PDT para discussão.

Internamente, o PT tem definido que o caminho é com Carlos Brandão e esta será a tese a vencer a eleição, resta definir se o partido indicará a vaga de vice-governador Felipe Camarão ou Zé Inácio. Os dois se articulam internamente em busca de obter a maioria dos delegados.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>