Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Três nomes tentam quebrar a polarização entre Kaio Saraiva e Diego Sá na disputa pela OAB/MA

17 de agosto de 2021 : 17:12

A disputa pela presidência da OAB do Maranhão está seguindo uma tendência de polaridade entre Kaio Saraiva apoiado pelo atual presidente Thiago Diaz e Diego Sá que recebeu apoio do grupo de Mário Macieira e dissidentes da atual gestão da seccional no estado. Porém, três nomes estão dispostos a quebrar essa polarização e surpreender no resultado final da eleição. Trata-se de Aldenor Rebouças, Gustavo Carvalho e Heliane Fernandes.

O mais organizado dos três até agora é o advogado Gustavo Carvalho, que já tem viajado pelo Maranhão em busca da consolidação da sua pré-candidatura. Nas redes sociais, já é possível observar alguns profissionais do Direito já declarando apoio ao projeto “União da Advocacia & Alternância de Gestão”. Ele inclusive, já pode ser considerado um candidato certo, evitando que a disputa fique apenas entre Kaio e Diego.

Aldenor Rebouças busca a viabilização do seu nome. Na eleição passada em 2018, ele chegou a registrar sua candidata, porém sua chapa foi barrada pelas cláusulas impostas naquela oportunidade. Rebouças inclusive revelou que advogados acabaram desistindo de permanecer em seu projeto por “pressões políticas”, porém ele acredita que as mudanças nas regras eleitorais vão fazer com que dessa vez a história seja diferente. “A cláusula de barreira diminuiu e o número de insatisfeitos está muito alto”, afirma o advogado.

Por fim, Heliane Fernandes tenta entrar na disputa e quebrar uma hegemonia masculina. Ela é a única pré-candidata mulher até então e caso ela fique fora, será a primeira vez nos últimos seis anos que uma mulher não concorre ao cargo. Em 2015, Valéria Lauande terminou em segundo lugar e em 2018, Sâmara Braúna ficou com um honroso terceiro lugar. Outra quebra de paradigma que poderia ser imposta por Heliane é o fato de ser negra. Ela fazia parte do Grupo Vem Comigo que acabou aderindo ao projeto de Diego Sá, mas acredita que vai conseguir reunir advogados de causas em defesa da democracia e inclusão de diversidades, dentre eles negros, LGBTQUIA+, indígenas, PCD etc, que vão fortalecer o seu projeto.

Caso, eles consigam a viabilização, a disputa pela presidência da OAB do Maranhão pode registrar o maior número de candidaturas. O recorde é de 2018, quando quatro concorreram: Thiago Diaz (vitorioso), Carlos Brissac, Sâmara Braúna e Mozart Baldez (falecido).

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>