Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Bolsonaro apresenta nesta sexta-feira ao Congresso, projeto que pode deixar gasolina quase R$1,50 mais barata

12 de fevereiro de 2021 : 10:15

O presidente Jair Bolsonaro disse que o governo deve apresentar nesta sexta-feira (12), o projeto que altera a forma de cobrança do ICMS sobre combustíveis e disse também que deseja reduzir o PIS/Cofins sobre o diesel, num primeiro momento.

Anunciado na semana passada, a proposta pretende mudar a forma de cobrança do ICMS dos combustíveis, tirando a cobrança da ponta para cobrar na saída das refinarias, e que os Estados estabeleçam valores ou percentuais fixos para essa cobrança.

Para o presidente do Sindicato dos Distribuidores de Combustíveis do Maranhão (Sindcombustíveis-MA), Leopoldo Santos Neto, este seria um valor justo e que realmente impactaria no preço final do produto, já que para retirarem o produto, em vez de R$ 4,28, os postos pagariam R$ 2,93, ou seja, menos de R$ 3,00.

A proposta de Bolsonaro faria com que o imposto sobre a gasolina no Maranhão, que é de 30,5% por litro de gasolina, baixaria, mesmo com o aumento da última terça-feira (09), de R$ 2,03 para R$ 0,68.

O presidente quer que a incidência do ICMS seja pelo valor do litro cobrado na refinaria e não arbitrado pelo Governo do Estado.

5 comentários em “Bolsonaro apresenta nesta sexta-feira ao Congresso, projeto que pode deixar gasolina quase R$1,50 mais barata”

  1. Neto

    3 semanas atrás  

    Desse jeito os Comunas piram! Jerry tá se contorcendo de ódio agora kkkkkk

  2. Gilberto

    3 semanas atrás  

    A proposta é fantástica, mas tenho dúvidas de que os governadores não vão boicotar via pressão às suas bancadas.

  3. Eldo Magalhães

    3 semanas atrás  

    A proposta é excelente e justa, mas a politicagem não vai aprovar.
    Ainda assim mostra que a equipe econômica tá empenhada em melhorar as coisas

  4. 3 semanas atrás  

    Acho muito importante, entretanto quero ver é na hora que os cidadãos precisarem de atendimento de saúde, educação, infraestrutura, etc…. quem vai fazer, pois as propostas vão quebrar os Estados.
    Se ele quer mostrar serviço, porque não faz a reforma política, essa sim vai ajudar muito

  5. Adilson Santana Perdigao

    3 semanas atrás  

    Saúde, Educação, Infraestrutura não depende de ICMS, mas sim de repasses obrigatórios definidos na CF, por outro lado não haverá redução de receita, pois aumentando o consumo, deverá haver aumento de produção, gerando emprego, consumo e consequentemente haverá mais arrecadação, votar contra esta proposta é votar contra o povo!!!!

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>