Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Professores de São Luís e do Maranhão podem ficar sem salários por conta do corte do Fundeb

25 de abril de 2017 : 07:01

A Educação do Maranhão e de São Luís pode entrar em colapso. Isso pode ocorrer por conta da portaria nº 565, de 20 abril de 2017, publicada no Diário Oficial da União que anuncia um corte robusto no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – FUNDEB – do governo do Maranhão e diversas prefeituras maranhenses, entre elas a capital. Sem o repasse do mês, professores podem ficar sem salários do mês de abril.

No total, o Governo Federal cortou no mês de abril R$ 224 milhões de recursos para à Educação no Maranhão, referentes à devolução de repasses adiantados em dezembro de 2016 ao estado e aos municípios. Do dinheiro, R$ 47 milhões saíram da educação estadual e R$ 177 milhões da educação dos 217 municípios maranhenses. São Luís teve uma perda de cerca de R$ 12 milhões. Com esse corte, os municípios terão dificuldade para pagar a folha e o custeio da educação.

É necessário ressaltar que o corte vai ocorrer por conta de um adiantamento ocorrido no mês de dezembro de 2016, ou seja, caso ocorra o atraso no pagamento de salários é por conta da falta de planejamento e administração, afinal um dinheiro a mais chegou em outro momento. Prefeitos eleitos podem até usar a desculpa que o gestor anterior fez uso inadequado do dinheiro, mas esta desculpa não vai servir nem para Flávio Dino (PCdoB) e muito menos para Edivaldo.

Para se ter ideia, São Luís teria o direito de receber esse mês, o valor de R$15,4 milhões, porém um corte de R$11,9 milhões vai fazer com que o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), receba apenas R$3,4 milhões, o valor é bem inferior ao necessário para pagar os salários dos professores.

Um dado obtido por este jornalista, revela que o gasto mensal para o pagamento de professores e demais profissionais da Educação em São Luís gira em torno de R$35 milhões, o que representa 5.800 trabalhadores.

Buscando resolver a solução, o governo do Maranhão, através do seu procurador-geral, Rodrigo Maia, vai entrar com uma ação na Justiça para tentar impedir que isso ocorra. Essa é a informação que o Chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares (PSB), vem passando aos prefeitos para tentar tranquiliza-los, mas ele também já admite aos gestores que para esse mês dificilmente a situação vai ser revertida.

O presidente da Famem, Cleomar Tema (PSB), junto com a bancada federal esteve em Brasília nesta segunda-feira (24), e buscava solucionar a situação. Os deputados Weverton Rocha (PDT) e Zé Reinaldo Tavares (PSB), também se engajaram no caso.

Conversando com alguns especialistas em gestão pública, afirmam que é muito provável que os profissionais da Educação fiquem sem salários em São Luís, afinal o prefeito Edivaldo Holanda Júnior nunca demonstrou nenhuma habilidade para encontrar soluções para perda de recursos e agora também não vai contar com a ajuda do Governo do Maranhão, que também será penalizado.

Não só o Maranhão recebeu a notícia ruim, os estados do Ceará, que perdeu R$ 164 milhões; Bahia, com a perda de R$ 70 milhões; e Paraíba, que tem que devolver R$ 35 milhões, também foram penalizados.

11 comentários em “Professores de São Luís e do Maranhão podem ficar sem salários por conta do corte do Fundeb”

  1. Carlos Gustavo

    5 anos atrás  

    Parabéns ao eleitores do viva o 12 e 65… Pela adm dos dois …. Piada

  2. Jônata

    5 anos atrás  

    Engraçado que vc não revela da onde estão vindo esses dados, a respeito dos gastos da prefeitura.

      • Lene

        5 anos atrás  

        Maranhense, acordem!
        Esse Diego Emir, que parece mais um blogueiro a um jornalista, tem utilizado das redes sociaisso com um único intuito – denegrir a imagem do atual governo e ridicularizar a imagem dos nossos conterrâneos.
        Acordem!

  3. Merces Aguiar

    5 anos atrás  

    Se aqui em Cajapio, os cortes nos direitos de trabalhadores da educação já eram homéricos agora com essa noticia então vai lascar tudo de.vez.

  4. Calos

    5 anos atrás  

    Infelizmente o brasil não está muito preocupado com a educação pública, mais vamos torcer para ação na Justiça da certo.

  5. Joelson

    5 anos atrás  

    Rapaz, o blog ja esta afrimando algo sem nem saber? Como pode isso? A questao se relaciona com o governo federal e a culpa é dos governos estaduais e municipais? Só pode ser piada isso que acabo de ler.

    • 5 anos atrás  

      Vejo que a publicação se preocupa mais em especular quais deculpas os governos irão usar para justificar esse corte. Ora, se foi direto do GF…para que arrumar desculpas?!

  6. robson

    5 anos atrás  

    São dados fidedigmos? nao se vê nada por ai falando disso!

  7. Erick Cutrim

    5 anos atrás  

    E para onde foi o dinheiro a mais que receberam em dezembro 12; destinado exclusivamente para pagamento dos profissionais da educação. Parabéns Governador Flávio Dino e Edvaldo Holanda exemplo de incompetência.

  8. Wanderson

    5 anos atrás  

    O Nordeste tá pagando por da apoio a Lula e dilma

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>