Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Maranhão e mais onze estados projetam rombos nas contas de 2017

28 de dezembro de 2016 : 11:34

O Estadao

Mesmo após um socorro bilionário do governo federal, com o alívio no pagamento da dívida com a União, a crise nos Estados deve ter um novo capítulo em 2017. Doze governos estaduais, entre eles o do Maranhão, projetam um deficit primário em seus orçamentos no ano que vem, segundo levantamento feito pelo Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, e outros admitem a possibilidade de frustração de receitas, o que levaria a uma lista maior de resultados negativos.

O governo do Maranhão projeta um deficit de R$ 277 milhões.

No total de 26 Estados (apenas o Amapá não informou suas estimativas), entre superavits e deficits projetados para o ano que vem, o rombo acumulado chega a R$ 32,5 bilhões.

Após verdadeiras peregrinações de governadores e secretários de Fazenda por gabinetes em Brasília, os Estados conseguiram que a União acenasse com a renegociação da dívida e com a divisão dos recursos obtidos com o programa da repatriação, que injetou R$ 11 bilhões nos cofres estaduais este ano e deve ter nova edição em 2017. Tudo isso garantiu um alívio momentâneo, mas ficou longe de resolver o problema.

12 Unidades da Federação projetam deficit primário em 2017 (em milhões de R$)

Rio – 19.300
Minas Gerais – 8.060
Paraná – 4.100
Distrito Federal – 2.000
Espírito Santo – 807
Piauí – 792,6
Bahia – 734,2
Tocantins – 620
Paraíba – 509,6
Maranhão – 277
Pernambuco – 256
Sergipe – 238,7

2 comentários em “Maranhão e mais onze estados projetam rombos nas contas de 2017”

  1. Maria

    5 anos atrás  

    E ainda o governador quer vender a ilusão do eldorado maranhense.

  2. Miguel Alencar

    5 anos atrás  

    Boa tarde. E essas enquetes de governo 2018, que espalharam-se pelo Ma? Um blogueiro publica e a visibilidade e compartilhamentos é tão intensa que vira polêmica e viraliza. Na sua opinião como conhecedor do cenário político,quem teria chance de vitória? ou caso formasse chapa ou se unisse a um grupo ou uma terceira via? Flávio Dino, Roseana Sarney, Roberto Rocha, Maura Jorge. Depois do delegado Assis Ramos ter virado o jogo e ter sido eleito prefeito de Imperatriz e Braide iniciar com mera porcentagem e crescer tanto no segundo turno tendo uma votação expressiva e engajamento do povo em São Luís…não duvido mais de nada, concluindo-se que a política é realmente dinâmica.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>