Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Avenida Jerônimo de Albuquerque e BR 135 foram as localidades com maiores índices de assaltos em Setembro

17 de outubro de 2016 : 11:23

O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão informa o quantitativo de assaltos a ônibus registrados durante o mês de Setembro em São Luís. De 1º de a 30 de Setembro, foram contabilizadas 49 ocorrências do tipo, dentro dos coletivos.

No comparativo com Agosto, as estatísticas praticamente foram às mesmas. No mês anterior a Setembro, foram 51 assaltos. É importante ressaltar, que estes dados se baseiam em informações repassadas pelas empresas que registraram boletins de ocorrência, detalhando as ações criminosas. De Janeiro até Setembro, 475 assaltos a coletivos ocorreram na Grande São Luís.

Em Setembro, os assaltos a ônibus foram mais praticados nas seguintes localidades: Avenida Jerônimo de Albuquerque, com 6 assaltos; BR 135 (entre Pedrinhas e Estiva), com 5 ações do tipo; Gapara, com registro de 4 crimes; além das Avenidas Getúlio Vargas, General Artur Carvalho, Portugueses e as Vilas Itamar e Esperança, com 3 assaltos, em cada uma dessas áreas.

O Sindicato dos Rodoviários reforça que esses índices não englobam, as tentativas e os ataques a ônibus, ocorridos entre o final do mês de setembro e começo de outubro na capital. Os assaltos são crimes que diferem, dos quase 30 coletivos, que foram alvos de ações de vandalismo no período que antecedeu o primeiro turno das eleições.

“Toda a diretoria do Sindicato dos Rodoviários continua mobilizada, no sentido de combater esse tipo de crime, que gera tanto temor entre a categoria e usuários do transporte público de São Luís. Reconhecemos, que a polícia militar tem mostrado empenho e desenvolvido operações, que visam coibir os assaltos, mas aí, nos deparamos sempre com a notícia de que o judiciário concede a liberação para que mais e mais detentos saiam dos presídios, como aconteceu agora, no último 12 de Outubro, Dia de Nossa Senhora Aparecida e das Crianças. Sabemos que a maioria não retorna as unidades prisionais e o que é pior, voltam a cometer crimes, aterrorizando, principalmente, a capital. É uma situação, que de fato, ficamos de pés e mãos atados. A justiça brasileira precisar tratar questões dessa natureza, com mais rigidez e parar de conceder regalias, a quem de fato, não merece”, afirma categoricamente, Isaias Castelo Branco, Presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>