Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Abertas as inscrições para o Programa Jovens Embaixadores 2023

18 de agosto de 2022 : 17:01

As inscrições para a 21ª edição do Programa Jovens Embaixadores seguem abertas até 11 de setembro. A informação é da Secretária de Estado da Educação (Seduc). O Programa é uma iniciativa oficial do Departamento de Estado Norte-Americano e, no Brasil, é coordenado pela Embaixada dos Estados Unidos da América.

As inscrições poderão ser feitas através do link: www.jovensembaixadores.org.br. Nesta edição, serão selecionados 50 estudantes de todo o país. Os jovens selecionados terão a oportunidade de fazer intercâmbio de três semanas nos EUA, em janeiro de 2023, desde que as condições da pandemia da Covid-19, no período, sejam favoráveis ao encontro presencial.

Os estudantes empreendedores são o público-alvo do Programa Jovens Embaixadores que, por meio de iniciativas e ações criativas e inovadoras, geram benefícios e ajudam a promover o bem-estar social. Para participar do programa, os candidatos devem possuir todos os pré-requisitos exigidos, entre os quais, ter nacionalidade brasileira, possuir entre 15 e 18 anos durante a duração do programa e ser aluno do Ensino Médio na rede pública brasileira e já ter cursado ao menos o 1º ano do ensino médio em 2022.

É item obrigatório o participante ter boa fluência oral e escrita em inglês. São requisitos, também, ter pouca ou nenhuma experiência anterior no exterior; jamais ter viajado aos Estados Unidos; pertencer a família de baixa renda; ter excelente desempenho escolar; estar, atualmente, engajado em iniciativa de empreendedorismo/impacto social em sua comunidade por pelo menos 6 meses; ser comunicativo, possuir boa relação em casa, na escola e na comunidade.

O estudante Jédesson Sousa Bandeira, de 17 anos, do Centro Educa Mais Antônio Reinaldo Porto, no município de Passagem Franca, participou do programa Jovem Embaixador em 2021 e 2022 e classificou a experiência como transformadora.

“O Jovens Embaixadores foi a melhor vivência que já tive em minha vida. Mudou totalmente minha visão sobre temas que estão presentes no nosso cotidiano. O programa também foi importante para minha realização pessoal, vi muitos rumos que eu posso seguir, e que nós jovens podemos sim fazer a diferença”, afirmou Jédesson Sousa Bandeira.

O intercâmbio, segundo Jédesson, foi fundamental para o seu desenvolvimento acadêmico e pessoal. “Fiz amizades, criei laços e cavei oportunidades, que sempre carrego comigo após o término do programa. Participei de um intercâmbio nos EUA, minha primeira parada foi em Washington, e depois fomos divididos em cidades anfitriãs. Esse ano tive a oportunidade de ir para Albuquerque, na cidade do Novo México”.

A participação de Jédesson aconteceu no ano de 2021 pela primeira vez, que aconteceu de forma on-line por conta da pandemia da Covid-19. Em 2022, foi selecionado novamente e conseguiu ter a experiência de forma presencial.

“Geralmente não é permitido participar duas vezes do programa, mas como em 2021 tive que participar de forma on-line pude me candidatar mais uma vez. Para os estudantes que desejam se inscrever, eu digo que não é preciso ter medo, se não deu certo em um ano, tente no próximo, vale muito a pena”, destacou o estudante de Passagem Franca.

O jovem integra, em sua cidade, o Núcleo de Cidadania de Crianças e Adolescentes (NUCA), um projeto de empreendedorismo que foi criado pelo município como parte das atividades do Selo Unicef. No projeto, são realizadas palestras, eventos e atividades sociais para crianças, em busca de conscientizar sobre a violência infantil e a Busca Ativa Escolar para inclusão de crianças que estão fora da escola.

A realização do intercâmbio presencial nos Estados Unidos depende das condições de saúde e segurança, uma vez que o mundo continua em alerta e com restrições devido à pandemia da Covid-19. Caso não seja possível realizar o intercâmbio presencial, os selecionados serão convidados para participar de um intercâmbio virtual em formato inovador e interativo.

O Programa Jovem Embaixador conta também com o apoio institucional das empresas FedEx, IBM e MSD, do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), das Secretarias Estaduais de Educação, da rede de Centros Binacionais Brasil-Estados Unidos, da USBEA, do Grupo + Unidos – fundo de investimento social colaborativo formado por empresas norte-americanas estabelecidas no Brasil. Atualmente, o Programa Jovens Embaixadores é implementado em todos os países do continente americano.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>