Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Sistema de transporte de São Luís opera com déficit mensal de R$ 6 milhões

27 de outubro de 2021 : 17:45

O sistema de transporte de São Luís sofreu um grande impacto com a pandemia que, somado ao fim do auxílio às folhas de pagamento federal e à subida vertiginosa dos combustível, entrou em colapso financeiro. A crise é tamanha que o serviço opera com um déficit mensal acumulado de R$ 6 milhões e muitos empresas já não conseguem cobrir custos básicos, como pagamento da folha salarial e compra de combustíveis.

De acordo com o diretor-executivo do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET), Paulo Pires, a situação dramática foi repassada reiteradas vezes ao governo municipal e várias tentativas de realinhamento foram sugeridas. A partir de agosto deste ano, diversas empresas não conseguiam sequer arcar com seus compromissos mais básicos, como pagamento de salários e compra de combustíveis. “Por sua vez, os trabalhadores estavam há quase dois anos sem correções salariais e demandaram em um momento de incapacidade de qualquer ajuste”, ressaltou Pires.

O diretor-executivo do SET frisou que em meio a um cenário tão desfavorável, formou-se a tempestade perfeita e atualmente o setor amarga um prejuízo de mais de R$ 6 milhões por mês. “Ainda assim, nenhum auxílio foi dado, até o momento. A necessidade do equilíbrio econômico se acumulou e está impossibilitando as operações, já que, ao contrário de outras atividades de transporte, não temos o poder de repassar aumento de custos para os produtos”, ponderou.

Atividade essencial

Paulo Pires acrescentou que durante a greve do transporte, que nesta quarta-feira (27) completou sete dias consecutivos, com consequências extremamente danosas para a cidade, a importância vital do serviço é percebida, pois com a ausência de ônibus nas ruas todos perdem muito.

Faturamento

Paulo Pires faz uma breve explanação sobre a as receitas das empresas concessionárias das linhas de transporte. Ele explica que hoje o sistema é financiado, na sua maioria, pelo vale-transporte e informa que apenas 30% dos usuários são pessoas que compram passagens “avulsas”, ou seja, quem mais se beneficia da baixa tarifa são as outras atividades econômicas, como comércio, supermercados, construtoras, serviços e Industrias. “Resumindo, as empresas de transporte estão subsidiando, com sua própria falência, outros setores da economia”, lamentou.

2 comentários em “Sistema de transporte de São Luís opera com déficit mensal de R$ 6 milhões”

  1. Maria Helena

    1 ano atrás  

    Essa cantilena das empresas é antigo. Se dá prejuízo porque não largam o “osso”
    em favor de outras empresas? Eu evito andar de ônibus, pois costumo andar a pé, até para i trabalho eu vou andando porque é melhor do que ir dentro das sucatas velhas que eles chamam de ônibus. No mais, entre os trabalhadores do transporte coletivo e os empresários, fico com os trabalhadores porque são o lado mais fraco da corda.

  2. Reynaldo Pinto Filho

    1 ano atrás  

    Estou totalmente de acordo com a senhora Maria Helena,se as empresas se tornaram deficitárias há tempos,então é melhor parar do que aumentar o débito com outros. Talvez vender a outrem, que tenha melhor planejamento e estrutura seja a melhor opção,do que ficar malhando em ferro frio e se endividando. Muitas empresas nesse setor ,nascem sem estrutura ,na esperança de crescimento as custas do sofrido trabalhador, sem estrutura de ônibus adequados ,que na sua maioria são velhos fantasiados de novos.A prefeitura ,no tempo do Edivaldo,armou um esquema paliativo com o aval desses empresários e como muitos eram seu parceiro,como a Primor, deixou o abacaxi para o Braid ,que é serio e não se vende. Já que essa situação está queimando o prefeito,se fosse ele queimaria toda a classe desses empresários ,cancelando as concessões e abrindo por tempo determinado de sessenta dias,a movimentação dos carrinhos transportes a toda região,até a chegada de novos empresários de fora do estado em caráter emergencial. Só falta coragem!

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>