Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Agenda positiva anima pequenos empreendedores

3 de março de 2019 : 10:23

O microempreendedorismo brasileiro está aquecido. De acordo com relatório do Global Entrepreneurship Monitor (GEM) publicado no final de janeiro, 53% das empresas em atividade no Brasil são compostas por uma única pessoa, os chamados MEI – Microempreendedor Individual. Os dados mostram que a adesão ao sistema no Brasil, em meio à crise, além de continuar enorme, ganhou fôlego extra.  Segundo dados do Serasa Experian, a cada dez segundos nasce um MEI no Brasil.

Mauro Fontes, consultor de negócios e empreendedorismo e CEO da Contabilivre, explica que este aumento exponencial se deve à popularização dos negócios MEI no Brasil. “Em 2018, cerca de 2 milhões de novas empresas foram abertas por meio do regime MEI, número que é 18% vezes maior do que o registrado há dois anos”, explica o consultor. “A modalidade veio para formalizar milhões de trabalhadores autônomos que não tinham emprego com carteira assinada e nem eram sócios de empresas no formato tradicional, fenômeno que ficou ainda mais consistente com a crise econômica no País”, comenta Mauro.

“O que se nota é que, após o novo Governo assumir, a comunidade empresarial ficou mais otimista, uma vez que a agenda do novo governo sinaliza com benefícios importantes para o setor, como a reforma tributária e desburocratização”, afirma Fontes.

Segundo pesquisa feita pelo Sebrae entre agosto e outubro de 2018, 46% dos empreendedores brasileiros apontaram o ano de 2018 como pior para os negócios. Mas quando o assunto era o que estava por vir, 67% desses empreendedores demonstraram ter expectativa positiva, acreditando que o ano de 2019 será melhor para suas empresas.

Estratégias para crescer

“Negócios expandem em tempos de fartura, mas é nos tempos difíceis que eles se consolidam”, explica Mauro Fontes. “Ao entrar em um período de expansão, uma ótima estratégia, para o empreendedor. é ser mais agressivo para conseguir capturar uma fatia maior de clientes”, comenta. “Se falharem, a perda não será tão sentida, pois o mercado estará vivendo uma boa fase, mesmo assim”, conclui.

Porém, é importante dizer que empreender com sucesso requer competências que vão além de ter uma boa ideia de negócio, aliada a capital para investir. Confira a seguir, quatro dicas do consultor Mauro Fontes para a manutenção e prosperidade da sua empresa.

– Conheça o ramo em que está empreendendo. A ausência de conhecimento prévio no setor do negócio é o principal motivo do fracasso de empresas no Brasil. Se estiver abrindo uma empresa em uma área desconhecida, é preciso investir fortemente em treinamentos, estágios, etc. Uma boa dica é trabalhar de graça em algum lugar do ramo, para adquirir conhecimento.

– Comece a entender e aprender cada vez mais sobre finanças. Nos primeiros anos de um negócio, é “suicídio” terceirizar a área financeira para um colaborador ou prestador de serviços. É o proprietário quem deve cuidar destes assuntos. Se não estiver familiarizado, invista em cursos, livros e, principalmente, adquira o hábito de acompanhar os números e indicadores da empresa. E faça disso um hábito diário.

– Saiba delegar tarefas. Se o dono do negócio estiver mais do que 20% do tempo envolvido com a operação, é um mau sinal. É preciso contratar bons profissionais e delegar a eles as principais funções operacionais da empresa. Isso vai fazer com que o proprietário foque seu tempo em atividades estratégicas, voltadas exclusivamente para o crescimento e consolidação do negócio.

– Ganhe o cliente. Em vez de investir pesado em anúncios, uma ótima dica é oferecer alguns produtos ou serviços gratuitamente ou com desconto relevante. Desta maneira, o empreendedor entrega seu próprio produto ou serviço na prática, o que é bem mais vantajoso. Além de mais econômica, esta estratégia tem tudo para contribuir para o fechamento de novos negócios. Invista.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>