Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Crise na UFMA: reitoria promove demissão em massa de trabalhadores da limpeza e manutenção

13 de fevereiro de 2019 : 12:27

Na tarde de terça-feira, 12, servidores terceirizados da Universidade Federal do Maranhão, em São Luís, foram surpreendidos com avisos prévios de demissão. A medida faz parte do corte de gastos por conta da crise econômica que a universidade atravessa. No Campus do Bacanga, o clima era de desolação e tristeza, afinal entre os demitidos alguns contavam com até dez anos de trabalho na instituição.

Além de agravar a crise econômica para dezenas de famílias, a UFMA caminha para o caos visto que situação já estava precária na área de limpeza e conservação.  Opinião compartilhada pela grande maioria de estudantes, professores e técnico-administrativos da instituição.

Os servidores prestavam serviços em diversos prédios do Campus e a exoneração dos profissionais poderá acarretar prejuízos para a conservação do patrimônio da Instituição. Funcionários que não quiseram se identificar reforçaram que a demanda de trabalho já era grande, tendo em vista a última demissão em massa ocorrida no ano de 2016. Agora, tende a ficar pior. “Faltam materiais de limpeza e era difícil fazer o nosso trabalho, mas pior pra gente é ficar sem emprego”, afirmou um funcionário.

A instituição ainda não se manifestou sobre a demissão em massa. Nem explicou qual a situação atual do contrato com a empresa terceirizada, que custou mais de 20 milhões de reais, de acordo com dados do Portal da Transparência. Com a decisão da reitoria da UFMA, ficarão prejudicados serviços como limpeza, asseio e conservação com controle, manuseio, coleta, transporte e destinação final de resíduos recicláveis em instalações físicas e mobiliárias da UFMA.

5 comentários em “Crise na UFMA: reitoria promove demissão em massa de trabalhadores da limpeza e manutenção”

  1. 2 meses atrás  

    Os serviços terceirizados de empresas custam muito caro para o poder público, embora os trabalhadores recebam como salários uma quantia irresória, em vez de contratar via empresa e encarecer o serviço deveriam fazer um seletivo para contratação temporária, não sei quanto a empresa recebe por cada funcionário, mas na prefeitura de São Luís, de acordo com o atual edital da licitação, cada um sairá ao valor de 4200,00 reais, no final o valor é baixo para o ASG, mas multiplicando dá uma boa quantia mensal onerando assim os cofres públicos. Eu sempre pergunto porque os políticos gostam tanto de terceirizar os serviços. Mas sei a resposta.

  2. Cristiano Campos

    2 meses atrás  

    Segundo informações dos agentes, foi a nova pró-reitoria de planejamento que sugerir o corte neste contrato.

  3. Servidor da ufma

    2 meses atrás  

    Para todos entenderem: o contrato era para a contratação de X funcionários. Quando a empresa entrou encontrou 3X. Como sustentar um contrato desses? Tem que igualar o que estraga em edital
    A grande questão são os apadrinhamentos. Coloca fulano que é “meu”. Agora ninguém pode reclamar

  4. Marcio

    2 meses atrás  

    Outra situação agravante é a dos vigilantes, que estão com dez meses sem receber o ticket alimentação, decimo terceiro atraSado. …Alguns vigilantes que gozá ramo de férias, há alguns meses nunca receberam o referente à ferias. …quantidade de vigilantes, insuficiente.

  5. Silva

    2 meses atrás  

    Para esse servidor da UFMA e fácil falar não é vc que vai ficar sem emprego quando a empresa entrou era pra ser um número x sim de pessoas mais teve que diminuir e agora a UFMA alega que não tem dinheiro pra pagar aí muitos pais de família vão ficar sem emprego e esse cidadão diz não reclama vc vai continuar trabalhando nos vamos ter que nos vira mais graças à Deus temos um Deus por nos

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>