Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Bancada maranhense de deputados federais está dividida entre Bolsonaro e Haddad

26 de outubro de 2018 : 05:12

No próximo domingo (28), o Brasil escolhe o seu presidente pelos próximos quatro anos. Se nas pesquisas eleitorais, o país aponta um ampla vantagem para Bolsonaro, no Maranhão a vantagem é toda de Fernando Haddad, porém entre os deputados federais maranhenses existe uma divisão e até um receio da divulgação dos seus votos. Abertamente apenas Aluísio Mendes (Podemos), Pastor Gildenemyr (PMN) e Cléber Verde (PRB) fizeram campanha pública para Bolsonaro, já para Haddad estão no front Rubens Júnior (PCdoB), Márcio Jerry (PCdoB) e Zé Carlos (PT).

Outros preferiram não se posicionar e procurados por este jornalista, afirmaram que o voto é secreto, caso de Edilázio Júnior (PSD) e Eduardo Braide (PMN). Outros quatro não foram encontrados para se manifestar: Pedro Lucas Fernandes (PTB), Júnior Lourenço (PR), Juscelino Filho (DEM) e Marreca Filho (Patriotas).

Os demais declararam seus votos, mas mantiveram uma postura tímida. A favor de Bolsonaro além dos citados inicialmente vão votar: Josimar de Maranhãozinho (PR), Hildo Rocha (MDB) e João Marcelo (MDB). O filho do senador João Alberto (MDB), explicou que sua posição será de acompanhar o voto indicado pela ex-governadora Roseana Sarney (MDB).

Já aqueles que optaram por Haddad, além dos comunistas e petista são: Bira do Pindaré (PSB), Gil Cutrim (PDT) e André Fufuca (PP). O presidente do PP do Maranhão informou que como pediu voto no primeiro turno ao petista, ele não tem como mudar sua posição agora no segundo turno, por isso seguirá com o ex-prefeito de São Paulo.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>