Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Instituto Acqua rebaixa salários no Hospital Carlos Macieira

1 de junho de 2018 : 09:03

Ao contrario do que afirmou a Secretaria de Estado da Saude, o Instituto Acqua está reduzindo salários e alterando a jornada  de varios profissionais no hospital Carlos Macieira. Insatisfação generalizada uma vez que trata-se de rebaixamento inesperado e pegou todos os profissionais de surpresa.

Além disso, o Instituto Acqua vai fazer o hospital retroceder pois vai substituir o sistema antigo para um outro sistema abaixo do nível do  anterior. Enquanto isso o hospital está sem sistema e os médicos reclamam assim como os setores administrativos pois estava tudo registrado no sistema antigo, inclusive os prontuarios dos pacientes e os agendamentos de consultas, faturamento, cirurgias e por aí vai…

Já iniciou a redução de pessoal em vários setores, nas coordenações de enfermagem, nos administrativos, na enfermagem, recepções e etc… Sem nenhuma justificativa plausível, ou seja, o hospital está um caos. Salários reduzidos, demissões, e falta de estrutura este hoje é o atual quadro do famoso e tão gabado Hospital Carlos Macieira. Aliás, as demissões ja começaram contrariando o que o sindicado e SES haviam divulgado. Como sempre mais uma vez os trabalhadores e a população são os maiores prejudicados. E como se não bastasse o Instituto Acqua exige que os profissionais mantenham apenas um vínculo empregatício, pagando um salário de fome.

O Instituto Acqua ainda intimida os funcionários quando os mesmos questionam a redução salarial, promovendo um clima tenso dentro da unidade.

Obs.: No ultimo dia 21/05,  o Instituto Acqua substituiu o Instituto Gerir que teve contrato suspenso após desentendimento com a SES.
No meio do fogo cruzado, estão os trabalhadores que estão em silêncio, sob ameaça de demissão.

Um comentário em “Instituto Acqua rebaixa salários no Hospital Carlos Macieira”

  1. Médico

    3 semanas atrás  

    Para os que não sabem o Hospital Getúlio Vargas tinha 2 utis e 19 leitos. Devido aos desabamentos e quedas de oxigênio ambas foram fechadas. Houve uma reforma que demorou mais de um ano e os leitos foram reduzidos para 10. Enquanto isso a UTI 2 que estava no macieira foi fechada no cadeado com remanejamento de todos os pacientes. O Hospital teve mais 10 leitos fechados, 2 em cada UTI. Totalizando uma perda de 18 leitos de UTI para o Estado Maranhão sendo q o repasse para as empresas q administram segue o mesmo. Uma vergonha.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>