Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

A incoerência de Flávio Dino: população relembra que comunista era a favor de intervenção federal

18 de fevereiro de 2018 : 08:54

Querendo ganhar status de liderança nacional, o governador Flávio Dino (PCdoB), sempre dar um pitaco sobre situações referentes a outros estados. Recentemente o comunista comentou que a intervenção federal na Segurança Pública do Rio de Janeiro fere o direito constitucional. De pronto, usuários da rede social Facebook, apontaram uma incoerência e o colocaram como dupla personalidade.

Ao afirmar que as regras jurídicas do pedido de intervenção no Rio de Janeiro eram esquisitas, o usuário Pinto da Vila Janaína lembrou: ‘Governador Flávio Dino, você em 2014 defendia a intervenção militar no Maranhão devido a violência no estado naquela época, e até hoje cada dia a violência só se prolifera no nosso estado, você demonstra ter uma dupla personalidade”.

Vale lembrar que em 2014, Flávio Dino chegou a declarar que era favorável a intervenção federal no Maranhão. Na oportunidade, o comunista evocava o artigo 34 da Constituição Federal para uma ação das Forças Armadas no governo na época comandado por

Roseana Sarney.

Naquela época, Flávio Dino que a ordem pública estava comprometida e os direitos humanos estavam sendo desrespeitados. Agora, quatro anos depois já na condição de governador e pitaqueiro como sempre, o comunista usa sua conveniência política para afirmar que o pedido de intervenção federal apresentado pelo presidente Michel Temer (MDB), é esquisito e fere até o direito constitucional.

O que propõe Flávio Dino? O que realmente pensa Flávio Dino?

O governador acaba passando situações vexatórias com a sua obsessão em ser comentarista de tudo o que ocorre no Brasil e também tudo que está relacionado ao ex-presidente José Sarney.

O sonho de Flávio Dino de alcançar o patamar de liderança nacional pode ficar cada vez mais distante ao passo que a memória das pessoas estejam funcionando e que suas frases não forem retiradas de circulação como a emitida em 7 de janeiro de 2014.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>