Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

A calmaria política que Flávio Dino vive é prenúncio de tempestade

18 de fevereiro de 2018 : 08:29

Atualmente, Flávio Dino (PCdoB) navega em mares calmos, voa em céu de brigadeiro e demonstra total certeza na reeleição ainda no primeiro turno dia 7 de outubro de 2018. O governador do Maranhão vive um dos melhores momentos, ainda com as atividades retomando ao parlamento e o povo anestesiado pelo carnaval, o comunista vive a tranquilidade de quem “alcançou” mais de 60% em pesquisa e possuir 14 partidos aliados. Porém, vale a máxima, toda calmaria é prenúncio de tempestade.

O uso do conhecimento popular, especialmente daqueles que navegam pelos mares, não é uma torcida deste jornalista, mas sim uma constatação do que o governador Flávio Dino está a prestes a viver e aqui não faço futurologia.

O arco de aliança comunista montado em uma base de 14 partidos – PCdoB, PDT, PT, PSB, PPS, PP, PRB, SD, PTB, PTC, PROS, DEM, PR e PEN – é completamente instável, muito parecido a um terreno arenoso e qualquer fluxo de saída de legendas pode virar um efeito dominó.

O primeiro ponto mais importante para Flávio Dino é a questão da escolha do senador. Após optar por Weverton Rocha ainda em dezembro, quando o próprio “botou uma faca no pescoço” do comunista e exigiu a indicação, o governador agora vive o dilema do que fazer com os descontentes, após o anúncio do segundo nome, que deve ser Eliziane Gama (PPS).

Zé Reinaldo Tavares (sem partido) e Waldir Maranhão (Avante), já deixaram claro que vão até o fim com suas pré-candidaturas, ou seja, vão concorrer ao Senado em quaisquer circunstância. Nesses dois nomes moram a primeira grande turbulência a vir a ser sofrida por Flávio Dino e ambos o podem levar a derrocada.

Tanto Tavares quanto Maranhão, já não escondem que conversam e já articulam com outros pré-candidatos ao governo, principalmente em um eixo que circunda entre Roberto Rocha (PSDB) e Eduardo Braide (PMN). É nos dois que está o maior medo de Flávio Dino, pois o comunista possui as armas prontas e apontadas para Roseana Sarney (MDB), mas seu discurso provinciano, não o permite ir para um embate além da dicotomia Sarney vs Anti-Sarney.

No cenário nacional, a disputa presidencial será uma das mais disputadas da história com ou sem Lula, e para Flávio Dino, sem o ex-presidente seria um cenário muito melhor. Afinal facilitaria mais uma vez o palanque múltiplo com um outro nome do PT, Manuela D´avila do PCdoB, Ciro Gomes do PDT e até Fernando Collor do PTC, além de outros que poderiam surgir.

Mas é na disputa entre direita e esquerda que esgarça a base aliada de Flávio Dino. Contando com vários partidos golpistas, o comunista pode presenciar a saída de um grupo de legendas que possuem obsessão por chegar a presidência como o caso do DEM e outro que pode fazer composições como PP, PTB, PR e outros. Os citados são os de maiores de peso, que representariam tempo e fundo partidário.

É prevendo esse cenário turbulento que Flávio Dino se utiliza de velhas práticas como uso de estruturas midiáticas e pesquisas questionáveis, assim como criticou sua antecessora. Para passar uma sensação de calmaria, tranquilidade e tudo favorável.

Ao divulgar os mais de 62% nas pesquisa Data Ilha/Tv Difusora registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o protocolo 06345/2018, o comunista tem apenas um interesse: mostrar a classe política que é com ele que devem seguir.

Mas como boa parte dos políticos, Flávio Dino esquece que o jogo político para sair perfeito tem que combinar com os eleitores e não só os “representantes do povo”. E assim como os maranhenses deram um “sim” para el 2014, o “não” parece ser algo bem real diante da realidade de um estado que parou no tempo ao não promover geração de emprego e renda, estagnando a economia e habilitando mais de 300 mil maranhenses para condição de extrema pobreza nos últimos três anos.

A maior das turbulências será quando ficar evidente que os mais de 60% apontados em pesquisas não passam de um “castelo de areia”.

No fim, Flávio Dino pode até sobreviver as intempéries que estão por vir, mas uma reeleição certa, garantida e ainda no primeiro turno foge de qualquer possibilidade da realidade maranhense.

17 comentários em “A calmaria política que Flávio Dino vive é prenúncio de tempestade”

  1. CINDY MACEDO

    9 meses atrás  

    Tá legal, mãe Diná do Maranhão!!

  2. Virgínia Lauande

    9 meses atrás  

    Não vejo essa “tranquilidade” ancorada apenas em pesquisas fajutas. Não vejo esse céu de brigadeiro quando a qualquer momento pode deixar de ser represado no TRF1 os processos do escândalo da Secretaria de Saúde que dizem estar por uma fio pra voltar para a Justiça Federal do MA. Não se vislumbra nenhuma tranquilidade sem o Palácio dos Leões ter dinheiro pra celebrar o célebres Convênios e pagar emendas que muitos prefeitos estão aguardando. Não vejo tranquilidade eleitoral com asfaltos sonrisal, escolas indignoas, aluguéis camaradas, apreensões desproporcionais de veículos para a Vip Leilões de sócios dos comunistas faturarem dinheiro do povo etc., etc., etc.

  3. Dos Anjos

    9 meses atrás  

    Tu é muito fraco nas tuas previsões, ou talvez é uma torcida que tu fazes. Prefiro acreditar que tudo vai dá certo, até pq quem ganha com isso é o estado do Maranhão, temos que torcer sempre pelo melhor cenário para o governo do Estado.

  4. Jesiel Marinho

    9 meses atrás  

    Kkkkk
    Fala muita besteira.
    Parece comédia de barzinho….
    Como q alguém ainda leva a sério?

  5. Geo

    9 meses atrás  

    Esse blogueiro sabe tudo. Tem os números da mega?

  6. Benevaldo

    9 meses atrás  

    Sarney nunca mais, Chega de escravidão!!.

  7. Mayana Lopes

    8 meses atrás  

    É muito triste olhar a mídia tentando ludibriar os seus telespectadores, deveriam ter vergonha. Não estou aqui em defesa de político algum, mas em defesa de nossos direitos, enquanto cidadãos, por isso o slogan ” Fora Família Sarney”, nunca foi tão vislumbrado e real.

  8. Carlos

    8 meses atrás  

    O povo maranhense tem que criar vergonha na cara e não votar nesse indivíduo Maranhão um estado falido Rodovia péssima TD defasado por conta desses políticos que só pensa no bolso dele.

  9. Socorro

    8 meses atrás  

    Concordo com alguns comentários, precisamos torcer pelo melhor do Maranhão, estamos vendo que Dino está fazendo um bom trabalho e voto nele novamente, vamos que vamos.

  10. 7 meses atrás  

    Fala serio. Seja menos parcial. Ta ridiculo essa mania doentia de perseguir o governo quando o Maranhão e o mundo percebem as mudanças e os avanços. Quem quiser romper aliança com o governo que rompa. Nos vitaremos em Flavio Dino em qualquer circunstância.

  11. J N P

    6 meses atrás  

    Deus vai livrar o povo maranhenses de mais quatro anos com este governo apático, sem conhecimento para trazer verbas para o nosso estado para realização de grandes obras, só ta enrolando o povo com reformas de escolas e hospitais, as upas nao tem mais nada o povo terceirizado sem salários, e só na migue lage, cade o turismo? cade a cultura? não tem mais nada o estado ta estagnado.

  12. Raphael

    6 meses atrás  

    Os caras que falam que esse governo está fazendo tão de brincadeira só pode.

  13. Roberto

    6 meses atrás  

    Não é só a Vip q tá roubando a gente, lá no Teatro Arthur Azevedo , o diretor não repassa o dinheiro da bilheteria para a Secma, gastando em festas e pra ele mesmo com a conivência do Secretário de Cultura. Este é só mais um caso deste governo de Flávio Dino.

  14. 5 meses atrás  

    O governo Dino é o melhor Governo da História do Maranhão. .
    Apenas aceitem..
    Essa história de direita ou esquerda é coisa de gente que gostaria de estar ao centro. ..
    Avante Maranhão o governo atual investiu na educação como nenhum outro. ..
    Sou estudante e digo que a classe do protagonismo do estado está sim com o governo do estado

  15. Mauro dias

    5 meses atrás  

    Não vejo nada mudando no mandato desse comunista

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>