Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Secretário quer a volta da cobrança de 10% da renda e mudar regras dos bares do Castelão

28 de dezembro de 2017 : 18:12

O secretário adjunto de Esporte, Américo Lobato, declarou nesta quinta-feira (28), que a Secretaria de Esportes e Lazer deve mudar as regras de uso do estádio Castelão em 2018. De acordo com o advogado atualmente são os clubes e a Federação Maranhense de Futebol responsáveis por gerir a praça esportiva e isso deve mudar, inclusive com o retorno da cobrança de 10% da renda bruta, assim como modificações no uso dos bares por parte de cessionários e também das diretorias das equipes futebolísticas.

De acordo com Américo Lobato na gestão do ex-secretário Márcio Jardim foi feito um acordo entre clubes, FMF e Sedel para que não houvesse mais a cobrança dos 10% da renda brutal, mas sim apenas o pagamento do valor necessário para manutenção do estádio ao ser aberto para espetáculos esportivos. Com o retorno da taxa, a Secretaria passaria a arrecadar valores para melhorar as condições do estádio.

A outra mudança é em relação aos bares do Castelão. Atualmente 20 proprietários repassam aos clubes, taxas referentes aos produtos vendidos no que tange cerveja, ocorrendo um acordo também com as cervejarias. A partir de agora, a Sedel passaria a ser responsável por arrecadar essa taxa ao invés dos mandantes dos jogos. Inclusive existe a possibilidade de fazer um chamamento público para aqueles que desejarem assumir os espaços do estádio.

No modelo atual, os donos de bares pagam R$30 aos clubes por caixa de cerveja vendida, sendo este valor rateado com as cervejarias.

Essas propostas foram encaminhadas com aprovação do governador Flávio Dino (PCdoB), uma vez que está na lei, a cobrança dessas taxas e que o atual modelo foi apenas uma concessão feita de acordo com o ex-secretário, FMF e clubes.

Para o presidente do Moto Club, Célio Sérgio, não há nenhum problema na proposta, pois inclusive caso a FMF venha cobrar 10% da renda bruta dos jogos, pode ser inferior ao que era gasto com taxa de manutenção para abrir o Castelão. “O problema do futebol maranhense é público, temos que atrair os torcedores”, declarou.

Já para o presidente da Associação dos Cessionários dos Bares do Castelão, Armando Nobre, a medida não é nenhuma novidade, afinal ele já foi chamado pelo secretário Hewerton Pereira para dialogar sobre a temática. Porém ele lembrou que tem cessionários dos bares, que tem documento desde 1980, garantindo o direito de uso e exploração do espaço.

2 comentários em “Secretário quer a volta da cobrança de 10% da renda e mudar regras dos bares do Castelão”

  1. Escórcio

    4 meses atrás  

    O comunista não quer dar colher-de-chá pra ninguém! Vale dizer que outrora a arrecadação dos bares do Castelão, nos grandes jogos do Sampaio Corrêa, pelo que se sabe, ajudava em muito a Bolívia Querida a pagar a sua onerosa folha. E agora?

  2. jose carlos silva

    4 meses atrás  

    Diego, a SEDEL tem uma empresa contratada para fazer a manutenção do CASTELÃO, recebe mensalmente para isso, como que a manutenção está sendo paga pela Federação e Clubes? Solicite à SEDEL o Contrato de Manutenção do Castelão. Alguém está comendo por fora ou já comeu.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>