Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Indefinição no Maranhão pode contribuir com o encolhimento de bancada do PT no Senado

O PT vive um drama no Senado Federal. Em 2018, 7 dos 9 senadores do partido vão terminar seus mandatos e apenas 2 são dados como certos na disputa pela reeleição. E para contribuir com o cenário caótico, alguns estados vivem a indefinição das pré-candidaturas, caso este do Maranhão, onde o deputado federal Waldir Maranhão (Avante), aguarda a decisão do governador Flávio Dino (PCdoB) para receber a indicação e finalmente se filiar ao partido para disputar a vaga.

Como o governador Flávio Dino não parece muito preocupado com a situação do PT, o partido pode acabar minguando na Câmara Alta do Congresso Nacional. Acordos políticos podem deixar a legenda fora da disputa majoritária, assim como no Ceará, onde PT/PMDB/PDT vão fazer uma aliança, o que deixará fora da corrida eleitoral, o senador José Pimentel (PT).

No Maranhão é similar, o palanque de Flávio Dino parece ser rateado entre golpistas e não golpistas, afinal PCdoB/PDT e PRB já estão garantidos, e a últimas vaga deve ficar para o DEM através de Zé Reinaldo Tavares. Deixando o PT sem nenhum espaço na chapa majoritária.

Waldir Maranhão pode ser uma das oportunidades do PT garantir espaço no Senado, assim como em São Paulo que vão de Eduardo Suplicy e na Bahia com Jacques Wagner. Mas tudo depende do governador Flávio Dino…