Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Servidores do Governo do Maranhão podem voltar a receber salários no banco Bradesco

No ano de 2004, a ex-governadora Roseana Sarney decidiu vender o Banco do Estado do Maranhão (BEM) e o Bradesco foi o responsável por arrematar a instituição financeira por R$78 milhões e ganhar a exclusividade nas operações do estado. Por três anos, os servidores maranhenses receberam pelo banco privado, considerado de péssimo atendimento. Em 2007, Jackson Lago rompeu o contrato e transferiu para o Banco do Brasil as folhas de pagamento do executivo. Porém, o Bradesco pode voltar a ser o banco oficial do Governo do Maranhão.

Ocorre nesta nesta terça-feira (7), às 15h na Comissão Setorial de Licitação, a escolha da nova instituição financeira que será responsável pelo pagamento da folha dos servidores. De acordo com informações de membros da CSL, apenas o Bradesco se manifestou até o momento com o interesse de participação do pregão presencial.

De acordo com o edital lançando pela Secretaria de Gestão e Previdência, o contrato com a instituição financeira pode durar de um ano até seis anos, afinal é previsível uma prorrogação ao final do primeiro ano de operação.

Para ganhar as operações financeiras, o Governo do Maranhão está estipulando um lance mínimo de R$215 milhões. Por conta do alto valor das cifras e do atual momento em que o país, apenas o Bradesco se mostrou interessado a oferecer essa oferta aos cofres públicos maranhenses. Vale lembrar que o banco privado já tem grande presença no estado, porém recentemente foi envolvido em uma escândalo nunca esclarecido envolvendo a Câmara de Vereadores de São Luís.

Vale lembrar que em 2007, o governo maranhense decidiu centralizar todos os serviços bancários e movimentação financeira no Banco do Brasil em troca de investimentos de R$ 1 bilhão na instituição financeira no Estado.