Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Delegados do Maranhão afirmam que nunca se dobrarão às ameaças e perseguições de Flávio Dino e Jefferson Portela

Em razão da remoção da delegada Virgínia Loiola Bessera, após denúncia da precariedade da Secretaria de Segurança Pública do Maranhão, noticiada neste blog, a Associação dos Delegados da Polícia Civil do Maranhão emitiu uma nota dura contra o governador Flávio Dino (PCdoB) e secretário Jefferson Portela (PCdoB). De acordo com os delegados eles repudiam de forma veemente os abusos e desvios de finalidades praticado por Portela e anunciam que nunca se dobrarão às ameaças e perseguições de Flávio Dino.

A nota foi em razão das últimas medidas tomadas pela SSP em relação aos delegados Gustavo Tavares Barbosa de Matos, Virginia Loiola Beserra e Fábio Silva Cordeiro Pessoa. De acordo com a Adepol, os dois primeiros são alvos de processos administrativos disciplinar e os dois últimos são alvos de remoções. As ações foram desenvolvidas em represália ao exercício da profissão e da liberdade de expressão dos delegados.

CONFIRA A NOTA DA ADEPOL NA ÍNTEGRA NESSE LINK

A Adepol através da nota declara que não faz oposição ao governador Flávio Dino (PCdoB), e muito menos quer guerrear com o comunista, porém vão repudiar a falta de dialogo, democracia e politização do nobre propósito da atuação dos delegados.

Os delegados chegam a citar que o totalitarismo já produziu instrumentos como a Gestapo na Alemanha nazista; Pide na Revolução Portuguesa; Ton Ton Macoute do Haiti e o SNI Doi-Codi que funcionaram durante a Ditadura Militar no Brasil, e eles esperam que no Maranhão não se viva essa mesma situação.

Por fim a Adepol informa que vai estar tomando as medidas cabíveis para coibir e denunciar todas e quaisquer represálias contra os delegados maranhenses.