Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Pinheiro: Luciano Genésio dialoga com Sindicato e recebe apoio de professores

Na manhã desta terça-feira (10) o prefeito de Pinheiro Luciano Genésio participou, a convite do Sindicato dos professores, de uma Assembleia Geral para discutir sobre o a atual situação da Educação no município.

Durante a Assembleia convocada pelo Sindicato dos Professores de Pinheiro, foi discutido o Plano de Cargos, Carreira, Salário e Remuneração da categoria. O prefeito também esclareceu dúvidas sobre os recursos do Fundeb e expôs ainda os motivos pelo qual o município vem passando dificuldades, como a crise econômica e política que o país atravessa.

De forma democrática foi formado uma comissão com Sindicato, Secretaria de Educação, Secretaria de Finanças, Procuradoria Municipal e Promotoria Pública. Segundo o Sindicato foram retomadas onde as discussões sobre PCCR- Plano de Cargos e Carreiras e Remuneração, que deverá assegurar os direitos de trabalhadores e trabalhadoras da Educação. O Sindicato afirmou ainda que essa discussão deverá ser encaminhada antes do final de novembro para a Câmara Municipal, antes do prazo da LOA Lei Orçamentária Anual. Após as conversações ficou decidido que os professores não vão aderir à paralisação.

“Estivemos sempre abertos ao diálogo e desta vez não foi diferente, a classe dos professores faz parte do meu Governo, estamos unidos em prol da educação e não será diferente. Estou disposto sempre a sentar com a categoria e ouvir suas reivindicações para que juntos, Governo e Sindicato, façamos  uma educação de qualidade em Pinheiro. Farei de tudo para que os acordos firmados sejam cumpridos e que ambas as partes andem de mãos dadas. Agradeço aos professores, em nome da professora Dinele, que compreenderam as dificuldades que expusemos e por confiar no nosso governo”, afirmou  Luciano.

“Fizemos essa reunião e convidamos o gestor para que ele explicasse o que estava acontecendo com a educação do município e qual o motivo para o atraso de salários dos servidores da educação. Ele nos explicou tudo e aceitamos os acordos, e todos os acordos firmados foram formalizados num TAC – Termo de Ajuste de Conduta- que será levado ao Ministério Público. Posso dizer que a reunião foi proveitosa e que com diálogos tudo se resolve, também decidimos que não haverá paralisação das aulas por parte dos professores”, afirmou Dinele.