Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Zé Inácio manifesta apoio em defesa de Lula na Assembleia Legislativa

O deputado estadual Zé Inácio (PT) utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa nesta quinta-feira (13/07), para manifestar seu apoio ao ex-presidente Lula, condenado injustamente pelo juiz Sérgio Moro.
A condenação, embora seja uma decisão de primeira instância, trata-se de uma medida equivocada, arbitrária e absolutamente ilegal. Visto que, a sentença está baseada exclusivamente em delações premiadas, sem a apresentação de provas que justifiquem a condenação.
“Para nós do Partido dos Trabalhadores não foi nenhuma surpresa visto que, o juiz Sérgio Moro já tinha a convicção pela condenação do ex-presidente Lula antes mesmo da denúncia ser oferecida pelo Ministério Público. A sentença não tem fundamentação jurídica e nem provas. Não existe, nos autos do processo, nenhum documento que comprove que o tríplex tenha sido negociado e que seja do Lula”, enfatizou.
Esta decisão evidencia total interferência na disputa política para que o ex-presidente Lula não seja candidato devido as recentes pesquisas de intenção de voto que o colocam na preferência do povo brasileiro ao cargo de Presidente da República em 2018. “O nosso entendimento é uma sentença fundamentalmente política que visa tirar o maior líder popular da história do Brasil da disputa eleitoral de 2018”, disse durante o discurso.
No entanto, o Partido dos Trabalhadores irá manter a defesa intransigente a Lula, por acreditar em sua absoluta inocência. E hoje, mais do que nunca, todos estão solidários com ele e sua família. “Nós não temos dúvidas de que Lula será absolvido pelos tribunais superiores porque é inocente, o único crime que fez foi tirar mais de 30 milhões de brasileiros da pobreza. O único crime que fez foi tornar o Brasil uma nação soberana e respeitada internacionalmente e é isso que aqueles que fazem oposição a ele temem, ou seja, é o Brasil continuar a ser um país forte, um país que possa retomar o crescimento econômico, combater o desemprego”, concluiu.