Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Diretor da Santa Casa do Maranhão repete apelo de Yglesio, mas não é crucificado pela imprensa e políticos

13 de julho de 2016 : 17:11

Três anos depois, outro diretor de um hospital público do Maranhão faz um desesperado apelo. Abdon Murad, responsável pela Santa Casa de Misericórdia, usou a rede social Facebook para implorar doações de materiais hospitalares e alimentos não perecíveis. A atitude se assemelha muito ao do ex-diretor Yglesio Moyses, que em 2013, também usou a internet para pedir doações de gêneros alimentícios. As duas situações são semelhantes, ambos os hospitais vivem atolados em dívidas milionárias, mas diferente são os tratamentos recebidos pelos dois médicos.

Em 3 de janeiro de 2013, Yglesio Moyses viveu um inferno astral ao fazer o apelo na internet. Ao receber o Socorrão I, o estado era de calamidade pública, mas mesmo assim a classe política e a imprensa massacraram o médico, alguns lhe chamando de irresponsável, incapaz, inábil e outras características por ter feito tal pedido. Mas o que estava por trás era uma tentativa clara de atingir a então empossada gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT).

abdon apelo abdonapelo2

Hoje, 13 de julho de 2016, Abdon Murad usa as redes sociais para chamar a atenção da população para os caos que vive a Santa Casa de Misericórdia. Afundada em dívidas e sem nenhuma ajuda de qualquer esfera pública, sobrevivendo apenas do repasse do SUS, o hospital corre sério risco de ter suas atividades paralisadas.

Ao contrário de Yglesio Moyses, o presidente do CRM não foi alvo de críticas pelo contrário, acabou recebendo o apoio de políticos e até de parcela da imprensa. Alguns que criticaram o gesto desesperado do ex-diretor do Socorrão I, hoje aplaudiram o ato de Abdon Murad.

yglesioapelo

A verdade é só uma: a Saúde Pública vive um caos no país, mas a disponibilidade em ajudar ou criticar vai de acordo com os interesses políticos, infelizmente.

Tanto Yglesio como Abdon acertaram em fazer o pedido de ajuda. É um ato desesperado, mas na ausência do poder público, a sociedade pode ajudar a resolver o problema que atinge em cheio a dignidade humana. Lembro que com as doações ofertadas pela população ludovicense, o Socorrão I passou pelo menos seis meses garantindo uma alimentação bem melhor do que a deixada pelo ex-gestor.

Só os responsáveis por milhares de vidas podem sentir o drama que é não proporcionar um atendimento de qualidade ou até mesmo rejeitar pacientes por falta de estrutura.

Enquanto isso, aqueles que são os (ir)responsáveis pela Saúde Pública vão continuar se dirigindo para os principais centros hospitalares do país, afinal podem pagar e vão continuar deixando a população a míngua.

Outra parcela vai continuar tratando a causa de acordo com os personagens, Abdon ou Yglesio, de acordo com os seus interesses, esquecendo que um dia, eles podem ser vítimas do caótico Sistema Público de Saúde.

Um comentário em “Diretor da Santa Casa do Maranhão repete apelo de Yglesio, mas não é crucificado pela imprensa e políticos”

  1. WN

    5 anos atrás  

    Talvez pq um dependa de verba federal (algo bem mais distante) e outro de verba municipal!

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>