Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Os piores “representantes do povo” na Assembleia Legislativa…

16 de julho de 2015 : 18:21

Terminou nesta quinta-feira (16), o primeiro semestre na Assembleia Legislativa. Os parlamentares entram de recesso por 15 dias e retornam as atividades no próximo dia 3 de agosto. Porém muitos do que foram eleitos para representar o povo, falta nenhuma farão e poderiam até entrar de recesso de forma definitiva.

Este jornalista que faz a cobertura diária do parlamento estadual fez uma seleção, diante do que foi acompanhado ao longo de cinco meses dos piores e daqueles que não tem nenhuma expressividade no Plenário Deputado Nagib Haickel.

pag02-0810-josimar Josimar de Maranhãozinho (PR) – Eleito com quase 100 mil votos, deixou claro que seu dinheiro só serviu para lhe colocar no parlamento para ter mais poder, pois capacidade de fazer algo pelo estado não demonstrou ter nenhuma. Nem articular bem as palavras consegue, quando vai a tribuna. Seu único destaque neste primeiro semestre foi alcançar a presidência do PR no Maranhão, que estava com Davizinho, fora isso Josimar passou apagado e é um dos que contribui para o empobrecimento do debate no legislativo estadual.

glalbertGlalbert Cutrim (PRB) – Segundo mais bem votado entre os deputados estaduais, o filho de Edmar Cutrim, deixou claro que nada aprendeu durante o período que ficou nomeado no gabinete do deputado Rubens Pereira Júnior (PCdoB), chegando a deixar claro que sequer acompanhava a rotina do parlamento. Glalbert não mostrou boa desenvoltura e ainda faltou demais. Ficou evidente que alcançou o cargo, graças ao posto que o pai ocupava e ainda ocupa no Tribunal de Contas do Estado.

Ana do Gás (PRB) – Terceira mais bem votada e segue a lógica dos que ficaram melhores votados que ela, muito fraca e sem expressividade. É verdade que a deputada bem que tentou, ainda se esforçou no inicio das sessões desse ano, mas não demonstrou nenhum preparo. Sem conhecimento e as vezes até fazendo flexões verbais erradas na Tribuna, Ana do Gás vai ter que se esforçar muito para melhorar até o fim do seu mandato.

Édson Araújo (PSL) – É mais visto passeando em shopping do que na própria Assembleia Legislativa. Dito representante dos pescadores, só se ouviu a voz dele, quando houve a polêmica da prisão de fraudadores do seguro-defeso. Está no seu segundo mandato, mas continua tão ruim quanto ao primeiro, se tem alguma expressividade deve ser somente para aqueles que são contemplados com o seguro-defeso.

ninaNina Melo (PMDB) – É possível contar nos dedos as vezes que a filha do ex-presidente Arnaldo Melo, subiu a tribuna. E da vez que fez algum pronunciamento, pareceu totalmente nervosa e sem preparo para pelo menos ler algumas frases que tinham sido preparadas por sua assessoria. Nina parece tão sem vontade nas sessões parlamentares, que até nas vezes que as votações eram nominais, ela tinha dificuldade para levantar a mão ou falar algo. Definitivamente, Nina Melo talvez tenha aptidão para qualquer coisa, menos para o parlamento.

Léo Cunha (PSC) – Um dos mais faltosos da atual legislatura, o deputado da região tocantina não tem nada do que se falar. De tamanha inexpressividade e ausência do parlamento é até complicado fazer uma avaliação do primeiro semestre do seu mandato, e olha que ele já tá no segundo.

Carlinhos Florêncio (PHS) – Preocupado com a eleição do filho, Florêncio Neto (PHS), o representante de Bacabal sumiu e é um dos mais faltosos na atual legislatura. Ganhou destaque na penúltima sessão do ano, quando leu o requerimento da CPI da Saúde. Fora isso, não fez diferença nenhuma.

steniorezendeStênio Rezende (PRTB) – Já está no quinto mandato e nada mudou, continuará sendo um dos piores parlamentares em qualquer avaliação, se reelege com a força do dinheiro e das relações políticas que possui.

Ricardo Rios (PEN) – Se duvidar não sabe nem o que está fazendo na Assembleia Legislativa, ausente e sem nenhuma discurso expressivo na tribuna, o deputado estadual da região de Vitória do Mearim é mais da turma jovem que foi eleita pela força do dinheiro e do poder político.

fabiomacedoFábio Macedo (PDT) – É mais lembrado pelo episódio que foi orientado a fazer um regime pelo deputado estadual Vinicius Louro do que por qualquer outro pronunciamento na Assembleia. O pedetista tá no time daqueles que é filho de não sei quem e irmão daquele, conseguindo assim alcançar um mandato de parlamento. Fora isso, não faz nenhuma diferença no legislativo estadual.

Paulo Neto (PHS) – Tá mais preocupado com a reeleição da mulher em Mata Roma do qualquer outra coisa. Está na lista dos mais faltosos e daqueles que não sabem nada vezes nada.

Graça Paz (PSL) – Não é nenhuma novata, mas age como se não soubesse de nada.

Hemetério Weba (PV) – Assim como nos outros mandatos, mantém a mesma postura de pouco fazer.

Francisca Primo (PT) – O desejo é que ela seja logo eleita prefeita de Buriticupu para que deixe o parlamento e seja menos uma que não faz nada e não sabe de nada.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>