Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Sobre o plágio dos professores, o MUDe e a sede pelo poder na UFMA

28 de fevereiro de 2015 : 08:43

A marca criada pelos professores da UFMA

A Universidade é um centro, por excelência, do saber e do conhecimento. Uma das características principais é o saber inovador, inédito como corolário do ensino e da pesquisa.

Neste contexto, não é de se imaginar que no ambiente acadêmico exista plágio, ou seja, copiar ideia de terceiro, se passar por ele, para angariar objetivos políticos. Pois o plágio está acontecendo na Universidade Federal do Maranhão. Explico.

Um grupo de professores e principalmente estudantes criou o grupo MUDE. Trata-se de um movimento cristão, religioso, com ramificações em todo o Brasil. Na UFMA, eles se reúnem periodicamente para pregar a palavra de Deus, fazerem orações, louvores, com grande aceitação entre o corpo discente da Universidade. Geralmente eles se reúnem em locais públicos, com as áreas de vivência. O grupo MUDE possui organização, tendo slogans próprios, termos específicos, cartazes, dentre outros.

Pois bem, as eleições para reitor e vice da UFMA estão prestes a acontecer. Na maior cara de pau, um grupo capitaneado pelo Professor Dr. Antônio Gonçalves, Presidente licenciado da APRUMA, Membro da Direção do PSOL, e pretenso candidato a reitor utilizou os termos, slogans, modelos de cartazes e o próprio nome MUDE para convocar pessoas para uma mobilização a ser realizada na UFMA.

A estratégia é simples. O movimento político cujo maior destaque é a APRUMA está bastante desgastado na comunidade acadêmica. A APRUMA nem se quer representa mais os docentes, pois já houve a criação de um sindicato para representação docente O SINDIUFMA, devido a insatisfação dos professores com o uso político partidário da APRUMA.

Logo, o Professor Antônio Gonçalves, marxista, deve ter percebido que se utilizasse os termos “ditadura do proletariado”, “precarização do trabalho docente”, “centralismo democrático”, “movimento desigual e combinado”, “todo poder a Karl Marx” dentre outros chavões, é de se concluir que o mobilização seria um fracasso retumbante.

A original criada em 2010 por estudantes da UFMA


Assim, teve-se a brilhante ideia de copiar as ideias de um grupo cristão e religioso para alcançar fins políticos de um grupo marxista. Neste momento, os marxistas de plantão devem estar vermelhos de vergonha. É de todos sabido que um marxista de carteirinha concebe a religião como um instrumento de dominação da classe dominante; como o ópio do povo, dentre outras concepções de cunho nitidamente ateu, como o de que Jesus é uma criação dos capitalistas para criar um séquito de alienados.

Neste contexto, os legítimos representantes do grupo MUDE estão extremamente revoltados, insatisfeitos com a cópia de suas ideias e criações sem o menor pudor. Já procuraram a administração superior da UFMA para relatar a descarada cópia e estão buscando todos os meios, inclusive legais, para cessar o abuso, o plágio. Estão programando, ainda, uma panfletagem para explicar o ocorrido, deixando claro, que o legitimo movimento MUDE não possui qualquer relação ou associação com a política partidária e marxista.

Realmente, é um lamentável ocorrido, demonstrando o que as pessoas são capazes de fazer para obter o poder.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>