Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Pesquisa contra o câncer de próstata recebe incentivo de Simplício Araújo

1 de abril de 2014 : 15:00

O câncer de próstata é a segunda causa de morte nos homens brasileiros. Em 2012, mais de 60 mil novos casos foram identificados, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca). O deputado federal Simplício Araújo (Solidariedade/MA), atendendo a um pedido da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), destinou emenda parlamentar para fomentar a pesquisas desenvolvidas pelo Centro de Pesquisa em Urologia.

“Recebi, em meu gabinete, uma comitiva de pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo. Eles mostraram as pesquisas em andamento e a atual situação financeira por que passa o setor. O centro de pesquisa representa um dos pólos mais avançados no atendimento oncológico do país e recebe pacientes de diversas partes do país, que buscam, através de seus profissionais e pesquisadores, formas de diminuir o sofrimento causado por tratamentos agressivos a que são submetidos os pacientes com câncer. Acreditando em um trabalho sério e que tem como objetivo descobrir formas de tratamento menos agressivas e que preservem a vida destinei esse recurso”, afirmou o parlamentar.

Simplício fez questão de destacar que um país desenvolvido e sério busca sempre fomentar a pesquisa científica de seus profissionais, dando a eles condições de trabalho e equipamentos. O parlamentar, após intensa pesquisa sobre o trabalho desenvolvido e por confiar na entidade federal, com 81 anos de serviços prestados à população brasileira, atendeu a reivindicação dos pesquisadores.

Nos últimos quarenta anos a pesquisa científica no Brasil evoluiu significativamente. Diversos foram os fatores que contribuíram para isso. Entretanto, não resta a menor dúvida de que parte de tal avanço deva ser creditada à consolidação da política de pesquisa implantada nas principais universidades brasileiras.

“No mundo existe um esforço para dar maior visibilidade à atividade científica. O desenvolvimento das sociedades depende cada vez mais da difusão da cultura, da ciência e da inovação. Uma sociedade com cultura científica é capaz de gerar conhecimento. Com recursos aplicados de forma contínua e um programa de formação de pesquisadores, o Brasil pode gerar, em pouco tempo, grupos de pesquisa qualificados, com pesquisadores de nível internacional que ajudarão no desenvolvimento do país”, finalizou.

-> Confiando no potencial dos pesquisadores brasileiros, Simplício Araújo destinou, também, emendas parlamentares que beneficiaram o Instituto Federal do Maranhão (IFMA). Os Campus de Pedreiras, Bacabal e Timon foram contemplados com R$ 4 milhões.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>