Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

E agora como fica o PDT?

16 de abril de 2014 : 07:47
O PDT fez festa, trouxe Carlos Lupi, reiterou o desejo de estar junto com Flávio Dino (PCdoB), este ano, mas nada adiantou. Na noite de ontem, o PSDB hipotecou seu apoio ao candidato comunista. A condição para que isto venha se consolidar é simplesmente a indicação de um tucano a vice-governador na chapa oposicionista. Ainda não é nada oficial, mas essa sinalização abriu um grande sentimento de derrota nos membros pedetistas, tanto que já foram procurados por aliados para tentar amenizar a situação.

Semana passada, Carlos Lupi veio ao Maranhão prestigiar Flávio Dino
Inicialmente foi o deputado estadual Marcelo Tavares (PSB), que já iniciou o trabalho de articulação e hoje será o deputado federal Carlos Brandão (PSDB) que irá conversar com o representante do PDT maranhense em Brasília.

O acordo selado entre PCdoB e PDT foi feito em 2012, quando apenas PSB e PTC faziam parte da aliança partidária. No entanto hoje, existem outros quatro partidos: PP, SDD, PROS e PSDB. Por isso existe a necessidade de uma nova discussão.

Esta semana, Flávio foi até Brasília fechar acordo com Aécio Neves
Os pedetistas sempre ameaçaram Flávio Dino, afirmando que caso não tivessem a vaga de vice-governador lançariam candidatura própria e agora, que esse momento está prestes a chegar, o que fazer?

O ex-prefeito de Santa Rita será o primeiro a cobrar a fatura, pois lhe prometido que este espaço seria seu em caso de não cumprimento de acordo.

Muitos ainda acreditam ser remediável esse momento de “crise” entre PDT e PCdoB, por isso trabalharam e trabalham rápido a articulação para evitar movimentações. 

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>