Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Não vai ser com a proibição das camisetas da Adidas que a nudez no Brasil vai desaparecer

27 de fevereiro de 2014 : 07:09

Blog do Aquiles Emir

O presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), Flávio Dino (PCdoB), reagiu com veemência, e com certa razão, às estampas das camisetas lançadas pela Adidas para a Copa do Mundo.

Nelas estão o que no mundo inteiro se conhece do país, a sensualidade da mulher brasileira. Claro que isto não faz parte da política de agora, mas foi a própria Embratur que no passado vendeu esta imagem, aguçando a vontade de muita querer conhecer este paraíso.

Agora do que adianta tanta pressão para se tirar estas camisas de circulação se quando chegar ao Brasil o que mais os turista vai ver, principalmente em comerciais de TV, é sensualidade. Afinal de contas quem ajuda a vender cerveja, celular, carro e até mesmo já vendeu sardinhas no Brasil? Muita gente, mas em boa parte mulher nua ou seminua. Se o turista quiser vir antes da Copa para conhecer outras tradições, o que verá no carnaval? Mulher nua ou seminua, principalmente se ficar na frente da TV, onde faltam closes nas genitálias das beldades que desfilam pelas escolas de samba.

O governo pode até pedir que não se diga isto, mas que os brasileiros adoram esta fama de nudez bonita, disto não se tem a menor dúvida. Veja na imagem ao lado um cartuz sobre um festival de quadrinhos no Brasil, em 2010. A mulher não está nada comportada, não é mesmo?

Vale destacar ainda que um dos maiores símbolos do Brasil, vendidos mundialmente é a Marquês de Sapcucaí, onde se realiza o desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro. Na Praça da Disperção desta passarela há um monumento à sensualidade da mulher brasileira.

Os arcos criados pelo arquiteto Oscar Niemeyer sugerem uma mulher vestida apenas de fio dental (veja a foto). Será que o governo vai mandar destruir este monumento, para o turista não ficar tentado a seduzir mulheres no Brasil?

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>