Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

UFMA cria curso de Medicina em Bacabal e amplia vagas em Pinheiro

2 de novembro de 2013 : 11:31
Em meio a crise do sistema público de saúde e o deficit de profissionais de medicina que ocorre no país, o Ministério da Educação decidiu implantar a política de abertura de novas graduações para formação de médicos pelo país, um dos estados que recebeu maior atenção desse programa foi o Maranhão, principalmente por conta da estruturação da Universidade Federal do Maranhão e também pela força da atual administração Natalino Salgado.
Natalino Salgado conta com prestígio no governo federal
Diante dessa situação, o MEC autorizou ainda em 2012 a criação dos cursos de Medicina da UFMA em Imperatriz (80 vagas) e Pinheiro (40 vagas) para 2014, e ainda a ampliação para 120 vagas na cidade de São Luís.

Determinado no avanço do estado e atento as demandas sociais, o reitor Natalino Salgado foi o principal responsável por essa descentralização das opções de graduação e evitou que o MEC destinasse ao CEUMA todas essas vagas, permanecendo assim, a maior parte das vagas ofertadas para Medicina no sistema da gratuidade e universalidade.

Porém o reitor da UFMA foi além. Conhecedor da realidade local, Natalino intermediou junto ao ministro Aloízio Mercadante a melhor distribuição e ampliação das vagas de Medicina para o Maranhão. Inicialmente São Luís ficaria com 120 vagas, ou seja, 60 por semestre, o que poderia abarrotar as salas de aulas.

Dessa forma foi negociado que as 20 vagas de ampliação que a Faculdade de Medicina (UFMA) de São Luís teria direito, fossem destinadas a cidade de Pinheiro, porém, além de conseguir essa melhor distribuição, foi obtida a ampliação das vagas, agora o município da Baixada Maranhense vai contar 80 vagas, 40 por semestre.

Se não bastasse a chegada do curso de Medicina nessas cidades, durante essa semana em visita ao Ministério da Educação, Natalino Salgado trouxe outro grande feito ao Maranhão, o município de Bacabal receberá a partir de 2015, 80 vagas para sua graduação de médicos.

Sendo assim, a partir de 2021, o Maranhão poderá formar por ano 340 médicos e de acordo com a estrutura que está sendo desenvolvida pela UFMA, muitos destes que se formarem no estado, vão poder fixar residência na região e finalmente findar com o deficit de profissionais da área em nosso estado.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>