Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Muita gente para pouca vaga

4 de fevereiro de 2010 : 13:28
“No primeiro dia, estava em 4º, no segundo em 27º e agora estou em 111º” afirmou Eder Serejo candidato a uma vaga de Direito no Campus de São Luis da Universidade Federal do Maranhão – UFMA, no fórum de discussão sobre o vestibular 2010 em uma comunidade do site de relacionamento, Orkut. O que o estudante afirma não foge a realidade dos demais estudantes.
Em dados divulgados recentemente pelo Ministério da Educação – MEC, o Maranhão é o terceiro estado com maior número de inscritos, dentre os que tiveram Universidades que aderiram ao novo Exame Nacional do Ensino Médio – Enem, foram 18000 inscrições no total. O fato fica mais evidente ao ser observado que o curso de Direito da UFMA está entre os dez cursos mais concorridos de todo o Brasil, foram 2173 inscrições somente em três dias.
Os estudantes maranhenses se sentem ameaçados e preocupados, uma vez que faltam ainda três dias para o fechamento da primeira chamada do Sistema de Seleção Unificada – Sisu, a crescente no número de inscritos é visivelmente percebida nos comentários de diversos jovens que relatam estarem em posições boas ou medianas nos dois primeiros dias e que agora estão sem chance de conseguir vagas até em cursos menos cotados nos vestibulares anteriores, como Serviço Social, Turismo, Biblioteconomia, Teatro, Química e Hotelaria, os mesmos já figuram entre os vinte mais concorridos da federal maranhense (confira no fim da matéria o ranking dos cursos na preferência dos estudantes na UFMA).
O grande número de inscrições no Maranhão deve-se ao fato de estudantes de estados vizinhos que não adotaram ou adotaram parcialmente o novo Enem como método de seleção, estarem procurando vagas na UFMA, devido a proximidade de suas localidades. Caso esse do Pará, o estado obteve 126.322 mil inscrições para o Enem, mas a Universidade Federal do Pará – UFPA, a maior do estado, não aderiu ao processo seletivo, no Piauí e Tocantins, também estados limítrofes com o Maranhão, aderiram de forma parcialmente, ou seja, 50% das vagas serão destinados para os seus vestibulares tradicionais e a outra parte para o Enem, o número de inscrições respectivamente no exame nos estados foram 79.917 e 33.978.
Outro fato que chama bastante atenção, é que o estado maranhense é caracterizado como uma alternativa para aqueles que desejam cursos bem concorridos por todo Brasil como Medicina e Direito, uma vez que a média local está baixa comparada a estados do sul do país, em diversos tópicos de discussões criados na internet, percebe-se a intenção de estudantes das regiões Sul e Sudeste “garimparem” uma vaga aqui, já que nos seus estados não tem mais chances.
Estudantes maranhenses reclamam incessantemente e já até prometem um protesto na próxima quinta-feira na UFMA ás 15h, os mesmos irão reivindicar, que a Universidade não adote mais o Enem como forma de seleção, devido a essa “invasão” de estudantes, diminuição do número de cotas, hoje correspondente a quase 60% das vagas, atribuição e o pedido da volta do vestibular tradicional, semestralmente.
Lembrando que a Universidade oferece 1822 vagas para o primeiro semestre de 2010, distribuídas em três campi (São Luís, Imperatriz e Chapadinha) e em mais de quarenta cursos, a UFMA foi uma das poucas Instituições de Ensino Superior que aderiu ao novo no Enem no nordeste, juntando-se apenas as federais do Piauí, da Bahia e de Pernambuco.
Sobrando vagas – Enquanto em alguns estados como o Maranhão a briga por vagas é acirradas, estados como Amapá, Acre e Roraima, recebem um baixo números de inscrições, ambos não superam a marca de mil inscrições, o fato se deve além do baixo número de estudantes que realizaram a prova, a distância de estados com concorrências sobressalentes. Mas não é só nos estados do norte que se observa pouco interesse nas vagas ofertadas, no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais – IFMG, o antigo Cefet, possuiu apenas uma inscrição para os cursos de Física e Matemática, nessa hora se percebe o Brasil é verdadeiramente um país de contrastes e desigualdades, uns com tanto e outros com tão pouco.

Ranking de inscrições de curso na UFMA.
1 º – Direito – 2173
2 º – Pedagogia -1838
3 º – Enfermagem -1709
4 º – Medicina -1150
5 º – Administração – 867
6 º – Ciências Biológicas – 766
7 º – Ciências Contábeis – 719
8 º – Serviço Social – 712
9 º – Psicologia – 698
10 º – Nutrição – 688
11 º – Turismo – 652
12 º – Comunicação Social – Jornalismo – 597
13 º – Educação Física – 572
14 º – Odontologia – 552
15 º – Farmácia – 530
16 º – Biblioteconomia – 522
17 º – Teatro – 515
18 º – Química – 513
19 º – Hotelaria – 512
20 º – Letras – 503

Matéria veiculada no site: www.maranhaohoje.com.br

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>